APLB aciona MP para impedir retorno das aulas presenciais no dia 21 de setembro em Brumado

-
Reprodução

A APLB-Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia entrou com uma ação no Ministério Público para tentar impedir a retomada das aulas presenciais em Brumado, marcada para o dia 21 de setembro. O presidente interino da APLB regional, André Azevedo, rebateu a declaração do prefeito Eduardo Vasconcelos de que a educação é uma obsessão para a administração.

“Obsessão precisa ser tratada. Ele não pode usar essa obsessão e descontar nos professores e pais de alunos. Nós que temos amor à educação e ao ser humano sabemos que este não é o momento de voltar para sala de aula. Não podemos colocar uma classe e o município em risco. Também não podemos servir de mau exemplo”, disse o sindicalista ao Site Achei Sudoeste.

O representante da APLB garantiu que o ano letivo não será perdido, tendo em vista que o conhecimento poderá ser recuperado dentro do próximo ano civil, após passado este período de crise em razão da pandemia. “Os professores estão se esbagaçando nas aulas remotas para atender os alunos, mesmo sem nenhuma capacitação. Na medida do possível, estamos conseguindo dar conta do recado. Em prol da vida, faço um apelo aos pais: não vamos voltar às aulas no dia 21 de setembro. O gestor não está cuidando da população brumadense”.

(A Tarde)