Audiência para ouvir Cátia Raulino e ex-aluno é marcada para 6 de novembro

-
Foto : Brenda Viana/BNews

A audiência de conciliação, instrução e julgamento do processo em que a suposta jurista Cátia Regina Raulino é acusada de ter plagiado um artigo de um ex-aluno foi marcada para o dia 6 de novembro, pela juíza, Regina Helena Santos e Silva, da 4ª Vara das Causas Comuns de Salvador.

Uma decisão liminar determinou a interrupção da circulação do artigo. Além disso, o ex-aluno, Jardes Costa de Oliveira, também pede na Justiça uma indenização de R$ 30 mil sob a alegação de ter sofrido danos morais com o suposto plágio cometido pela ex-professora. Segundo a defesa de Cátia Raulino, a circulação do artigo já foi interrompida.

Além de Jardes, duas ex-alunas dela, Solimar Musse, 39, e Lorena Falcão, 27, também a processam por suspeita do mesmo crime. Segundo elas, Cátia teria usado os seus TCCs após orientá-las sobre o assunto e publicado com o seu nome, sem qualquer menção às estudantes.

No último dia 13, a Polícia Civil pediu a prisão preventiva de Cátia Raulino, que exercia a advocacia ilegalmente em Salvador. “A conclusão é que Cátia Raulino não tem diploma de bacharel na universidade do Maranhão onde alegava ser formada. Já temos certeza absoluta que na faculdade que ela diz ser formada, ela não tem diploma”, disse o delegado, ACM Santos, que investiga o caso. Ele acrescentou ainda que Raulino responderá por cinco crimes.

(Correio)