BBB21 começa a divulgar participantes; veja a lista

Reprodução

A TV Globo está divulgando, ao longo do dia, os participantes do BBB21. Após o sucesso da última edição, neste ano o programa também vai apostar no choque “Camarote x Pipoca”. Com isso, a cada intervalo dois futuros confinados estão sendo revelados, um de cada equipe. Confira os divulgados até agora:

Pipoca

Divulgação

O instrutor de Crossfit Arthur tem 26 anos e é de Conduru, no Espírito Santo. Ele tentou a carreira como jogador de futebol, passando por times como Atlético Goianiense e Ponte Preta, mas lesões impediram a profissionalização. Após o fim do sonho, mudou-se para o Rio e virou instrutor de Crossfit.

Arthur diz que sempre foi considerado “playboy” por sua aparência, e que, apesar da cara de brabo, tem um coração gigante; adora curtir uma praia, se reunir com a galera e tocar violão, cavaquinho e banjo. Sobre o que pode desestabilizar seu jogo, ele é objetivo: mulher.

“O coração é fraco. Se tiver que me apaixonar por mais de uma, ou mais de uma vez por dia, vou me apaixonar”, reflete. Assume ter personalidade forte, mas diz que não levanta a voz em discussões. E destaca a determinação, o amor pela família e o comprometimento com seus sonhos como suas virtudes. Vê no BBB a oportunidade de mostrar quem realmente é.

Divulgação

O fazendeiro Caio tem 32 anos e é natural de Anápolis, em Goiás. É o típico fazendeiro: trabalha na propriedade de seu pai, onde plantam soja e milho e criam gado; cresceu em ambiente rural e, por isso, se diz apaixonado pelo contato com a natureza e pela vida no campo desde a infância Hoje mora com a noiva, tem duas filhas e entrega que é louco por elas.

Caio diz preferir levar a vida com leveza, mas que não foge dos embates e não tolera fofoca. Acredita que terá um bom relacionamento com os companheiros de confinamento por fazer amizades com facilidade e gostar de divertir as pessoas, mas que esse não é seu principal objetivo na casa. Ele quer ficar rico e famoso.

Ele conta que participar do ‘Big Brother Brasil’ era um sonho e que já se inscreveu outras vezes. Suas filhas são sua principal motivação para sair vencedor do reality e, também, as pessoas de quem mais sentirá falta durante o jogo: “Tudo que eu faço na vida é pelas minhas meninas”, declara.

Divulgação

O professor de Geografia João Luiz, de 24 anos, é mineiro da cidade de Santos Dumont e há um ano mora em Extrema, no sul de Minas, com o namorado, uma calopsita e duas chinchilas. Conta que tem uma ótima relação com seus alunos, o que lhe traz muito orgulho, e também com os pais, que sempre apoiaram suas decisões. Afirma ter boas habilidades manuais, tanto que, durante o mestrado, abriu uma loja virtual para vender cadernos e quadros pintados por ele e uma amiga.

João Luiz revela que sempre foi muito festeiro. Ama ouvir funk, dançar e costuma comemorar seus aniversários promovendo um dia inteiro de festa e gincana para os amigos e familiares. A exposição do BBB, para ele, não será um problema, já que adora ser visto. Também se considera bastante comunicativo.

“Sou calmo, explosivo, animado, impaciente. Um pouco de tudo. Danço quando tem que dançar, choro quando tem que chorar…”, brinca. Ele pretende levar a inteligência emocional para dentro do confinamento e ficar atento ao game, mas sem perder a chance de se jogar. “No jogo vale tudo”, declara.  

Divulgação

O modelo e educador físico Arcrebiano, de 29 anos, é capixaba, mas mora em Goiânia desde os 16. Também já viveu dois anos em Portugal trabalhando como coach de Crossfit. Atualmente, mantém três atividades em sua rotina: pela manhã faz investimentos na bolsa de valores, à tarde realiza trabalhos com moda e, à noite, atua como personal trainer. Já teve três namoros sérios, um deles de oito anos, mas hoje está solteiro.
 
Arcrebiano entrega que está aberto a relacionamentos na casa, mas não está disposto a perder o foco no prêmio para se apaixonar. Conta que adotou o apelido Bil na adolescência e dá risadas da história do seu nome, que foi entendido errado no momento do registro e ficou como está hoje. Revela ser obsessivo com organização, um pouco sistemático e que sai do sério quando está com fome. Nas horas vagas, adora curtir festas, praticar esportes e cuidar do corpo – diz que seu lado quase hiperativo não o deixa ficar parado. No jogo, pretende encarar todos os desafios e não fugir às discussões, mas sem se prejudicar. “Tenho pavio curto. Mas, por R$ 1,5 milhão, tenho que me segurar”, explica.

Divulgação

A advogada e maquiadora Juliette tem 31 anos, é natural de Campina Grande e hoje mora na capital paraibana com uma amiga. De origem humilde, sempre se dedicou muito para ajudar sua numerosa família: aos 6 anos já lavava cabelos no salão de sua mãe; cursou alguns anos da faculdade de Letras e, depois, formou-se em Direito; está estudando para ser delegada e, para custear seus sonhos, também atua como maquiadora. Hoje é a única dentre cinco irmãos com ensino superior e tem muito orgulho da própria trajetória.
 
Juliette se considera bem-humorada, verdadeira e bastante comunicativa. “Meu sonho era ser uma mulher misteriosa, fina, centrada. Mas nasci tagarela”, diverte-se. Diz que é apaixonada pela vida e que precisou se tornar uma mulher forte depois de enfrentar muitas dificuldades, dentre elas a perda de uma irmã de 17 anos devido a um AVC. Também por isso, conta que pode soar autoritária, o que pode ser um problema durante o confinamento. Mesmo assim, pretende enfrentá-lo para chegar ao primeiro lugar do reality. “O ‘Big Brother Brasil’ é a maior oportunidade da minha vida. Vou dar o sangue para conquistar esse prêmio”, garante. Ela entra solteira no programa.

Divulgação

A modelo e influenciadora Kerline tem 28 anos e é de Fortaleza, no Ceará. Vinda de uma família muito numerosa do sertão cearense, aprendeu desde cedo a ser financeiramente independente e, desde os 14 anos, faz seus “corres” para garantir sua renda. Há alguns anos, abriu uma empresa para gerenciar a carreira de influenciadores digitais. Mas, depois de sofrer um golpe, precisou fechar o negócio e seguir apenas com a própria carreira na internet, o que, durante a pandemia, tem garantido o sustento de toda a família.

Camarote

Divulgação

Cantora e apresentadora, Karol Conká, de 35 anos, é natural de Curitiba, Paraná, e atualmente mora em São Paulo. Cresceu na periferia da capital paranaense e, a partir de sua trajetória na música, se destacou no rap feminino. Em suas composições, evidencia o empoderamento das mulheres e o racismo: “Consegui reverter o preconceito que sofri na infância em solução, em poder”, avalia. Em 2013, recebeu a primeira estatueta na categoria “Artista Revelação” do Prêmio Multishow de Música Brasileira. Dois anos depois, lançou a canção “Tombei” com o grupo Tropkillaz e venceu o mesmo prêmio, na categoria “Nova Canção”. Apresentou-se na abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. E, na televisão, já esteve à frente dos programas do GNT ‘Super Bonita’ e ‘Prazer Feminino’, além de ter feito participações como atriz em atrações da Globo.
 
Afeiçoada ao trabalho, diz gerenciar ela mesma a própria carreira: cuida da imagem, do audiovisual e dos negócios. Nas horas vagas, gosta de assistir a séries com o filho, Jorge, jogar videogame e brincar de karaokê. Por se considerar uma pessoa bastante organizada, afirma que vai precisar aprender a lidar com a bagunça na casa do BBB – além da fofoca, algo que também a irrita. Chegou a dizer que nunca entraria no programa e hoje vê no reality uma oportunidade de aprender e de absorver novas experiências. Solteira e com os looks preparados para usar na casa, ela ainda avalia que relacionamentos podem acabar tirando seu foco do prêmio, por isso pretende não se apaixonar durante o confinamento: “Não coloquem ninguém interessante lá dentro. Só falta eu morder a língua…”, brinca.

Divulgação

A atriz Carla Diaz nasceu na cidade de São Paulo e tem 30 anos. Desde os 2 anos no meio televisivo, atuou em diversos filmes e novelas. Entre elas ‘O Clone’, quando tinha apenas 11 anos, interpretando sua personagem mais marcante, Khadija, a qual homenageou com uma tatuagem na costela. Filha única de pai uruguaio e bastante apegada à família, foi alfabetizada na Argentina enquanto gravava ‘Chiquititas’, do SBT. Está no ar com as reprises de ‘A Força do Querer’ e ‘Laços de Família, na TV Globo, e em ‘O Clone’, no Globoplay. “Fico muito feliz por estar em três novelas ao mesmo tempo. O que eu posso pedir mais? Entrar no BBB, né?”, comemora.

Carla conta que adora viajar, é alto-astral e gosta muito de dançar. Além de ser competitiva, afirma que não suporta injustiças e é protetora com os amigos. Tem lembranças do BBB desde criança, quando gravava nos Estúdios Globo, perto da casa em que vai morar temporariamente durante o programa. “Eu falava para a minha mãe: ‘Pede para o tio deixar eu entrar, pede. O tio era o Boninho (risos)”, recorda. Destaca que, apesar de ter emprestado muitas de suas características às personagens, há outras que o público ainda não conhece. E é o que quer mostrar no programa.

Divulgação

A influenciadora digital Camilla de Lucas tem 26 anos e nasceu em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Criadora de conteúdo há aproximadamente quatro anos, começou no YouTube com vídeos de beleza, dando dicas de cabelo e maquiagem. Chegou a cursar Contabilidade e trabalhou num escritório; garante que era boa de cálculo. Atualmente, além de mostrar a rotina nas redes sociais, seu conteúdo usa o humor como ferramenta para falar de situações corriqueiras, por isso, se intitula “blogueirinha real”. Durante a quarentena, seus vídeos ganharam uma visibilidade expressiva e, hoje, Camilla acumula um total de 7,5 milhões de fãs em suas contas. Em 2020, entrou para a lista da Revista Forbes como uma das jovens mais promissoras do Brasil na categoria “Web”. 

Camilla, que hoje praticamente mora com o namorado, diz estar bem segura de si. Afirma que aceitou encarar o BBB pela possibilidade de mudança de vida, tanto sua, quanto da família e dos amigos: “É mesmo para que a minha conta bancária cresça. Tem gente que fala que quer entrar para se conhecer, mas eu já me conheço. Eu me vejo todo dia desde 1994. O que eu quero é ficar milionária”, esclarece. Nega ser “barraqueira” e afirma que o senso de justiça sempre fala mais alto. Disposta a se expor e mostrar sua personalidade, garante, ainda, que vai aparecer bastante no jogo: “Sou assim. Gosto de estar em tudo”. 

Divulgação

A cantora Pocah, de 26 anos, nasceu no município de Queimados e foi criada em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. O nome artístico tem origem na semelhança física com a personagem da Disney Pocahontas, apontada desde criança. Teve uma infância humilde ao lado da mãe, empregada doméstica, e chegou a ser manicure em salão de beleza aos 16 anos. Antes do funk, o rock era seu ritmo preferido, por influência do irmão, que tocava numa banda. Em 2012, ganhou destaque no cenário nacional, quando ficou conhecida pelo lançamento da música “Mulher do Poder” e, nos últimos anos, reuniu diversos hits no funk e parcerias com artistas nacionais. “Eu busquei isso e me divirto trabalhando”, comenta.
 
Nas horas de lazer, Pocah gosta de jogar videogame e adora o agito das festas. Mãe de Vitória, de 4 anos, considera-se uma mulher batalhadora, que faz acontecer. Quando surgiu a oportunidade de participar do ‘Big Brother Brasil’, diz não ter pensado duas vezes. Afirma estar muito a fim de viver o programa e adianta que, quando entrar, vai ter que sentir a casa e as pessoas primeiro, antes de partir para o jogo. Considera que as amizades são parte essencial do reality: “Já quero ter meus BFFs lá dentro”, comenta. Determinada a chegar à final da temporada, avisa: “O que tiver que ser feito eu vou fazer para chegar à decisão. Estou entrando para ser finalista”.

Divulgação

Nego Di, de 26 anos, é comediante. Gaúcho de Porto Alegre, foi criado sozinho pela mãe e teve uma infância difícil. Começou a trabalhar cedo e sempre quis crescer rápido para ajudar com as contas de casa. Serviu o Exército, já foi taxista, garçom, cozinheiro e abriu a própria barbearia. Acredita que o jeito para o humor vem desde a infância, quando fazia graça para se defender de bullying na escola. Viralizou na internet ao contar, por meio de um áudio, a história real de um assalto que sofreu. A partir disso, criou o termo “whatsapper”, pois começou a ser solicitado para produzir áudios com vozes de seu personagem.
 
Pai de Tyler, de 5 anos, Nego Di conta que sempre gostou de samba e pagode. Considera-se uma pessoa direta e deixa claro que não gosta de perder, mas garante que não vai passar por cima de seus princípios no BBB: “O que mais pesa é ser honesto com os meus sentimentos e valores lá dentro”. No confinamento, acredita que pode se irritar com participantes egoístas, já que preza muito pelo espírito de equipe. Já se inscreveu anteriormente para entrar no reality, mas avalia que, na época, não estava preparado. Agora com a participação confirmada no time, está empolgado com a oportunidade e os frutos que virão a partir dela. “Não consigo dormir direito há algumas semanas, sonhando com o BBB. É um grande marco na minha vida. Vou começar a viver os melhores anos a partir dali”, avalia.

Divulgação

O ator Lucas Penteado tem 24 anos e é natural de São Paulo. Mora com os pais e os irmãos, a quem diz ser muito ligado. Nascido em berço de samba, é tataraneto de um dos fundadores da Vai Vai. Cresceu dentro da agremiação, onde teve seus primeiros contatos com a arte: na bateria da escola, como passista mirim, na produção das fantasias e nos desfiles. A música em sua vida também está presente através do rap, nas batalhas de rima, e na dança. Em oposição ao projeto de reorganização das escolas estaduais de São Paulo, esteve presente no movimento de ocupação dos colégios em 2018. Foi onde teve o primeiro contato com o Slam – batalha de poesia falada. Seu primeiro papel na televisão foi em ‘Malhação – Viva a Diferença’, em 2017, interpretando o personagem Fio.
 
Lucas diz que seu maior sonho é comprar uma casa para a mãe – segundo ele, sua melhor amiga e uma das fontes de inspiração para escrever suas poesias. De origem periférica, afirma que já passou por muitos obstáculos: “A tentativa de me tirar do sério vem desde que eu nasci, na escola, na rua, no trabalho… Eu não vou ofender, mas vou falar sério e alto se for preciso”, avisa sobre a possibilidade de conflito no reality.  E deixa claro que ouvir alguém falar sobre vitimismo ou racismo reverso o irrita. No BBB, além de buscar o prêmio, pretende se divertir muito. “Sou alegre, o retrato da felicidade periférica”, destaca.