Bolsonaro volta a minimizar efeitos da pandemia: “Onda terrível, um pânico”

Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em conversas com apoiadores na noite desta sexta-feira, 28, afirmou que houve uma “onda terrível, um pânico” na população em relação ao coronavírus. 

“Agora o pessoal fez uma onda terrível ali. Realmente [a Covid-19] matou gente? Matou. A gente sabe disso. Lamentavelmente morreu muita gente, né? Mas fizeram uma onda terrível, um pânico na população. Tem pessoas idosas que estão dentro de casa até agora”, declarou.

Não é a primeira vez que Bolsonaro minimiza os efeitos da pandemia. A fala do mandatário foi transmitida por um site bolsonarista.

Auxílio 

Na conversa, o presidente disse que, se pudesse, ofereceria auxílio emergencial para maiores de 65 anos. 

“Se eu tivesse autoridade para buscar solução pra isso, eu daria o auxílio emergencial para os acima de 65 [anos], pode ser um valor maior. Sai muito mais barato”, disse.

O presidente não deu mais detalhes sobre a implementação de um auxílio desta natureza. Sua fala ocorreu enquanto ele conversava com uma simpatizante sobre a possível prorrogação do auxílio, algo que, segundo o presidente, “quebra a economia”.

O auxílio emergencial de R$ 600 foi criado como fonte de renda para a população afetada pela pandemia de Covid-19. Desde setembro, o valor foi reduzido para R$ 300.