Com prefeito internado para tratar Covid-19, Olindina segue sem gestor há mais de 10 dias

-
Cidade de Olindina fica no nordeste baiano e está sem prefeito há 10 dias — Foto: Emanuelle Melo/ Arquivo Pessoal

Desde que o prefeito de Olindina, Vanderlei Caldas, que está com Covid-19, foi afastado do cargo para tratar a doença (reveja aqui), a cidade, que fica no nordeste da Bahia, está sem gestor. O vice-prefeito, Carlos Ubaldino Filho, deveria assumir a administração, mas alegou problemas pessoais e também de saúde, e não ocupou o cargo (relembre aqui).

Segundo a chefe de gabinete da prefeitura, Raucy Caldas,uma reunião foi marcada para noite desta quarta-feira (16) para colocar fim ao impasse.

O prefeito Vanderlei Caldas está internado no Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), em Salvador. Ele chegou a ficar na UTI, mas, segundo o presidente da Câmara de Vereadores da cidade, Albérico Reis, o gestor recebeu foi para a enfermaria nesta quarta-feira. No entanto, ainda não há previsão para a alta médica.

O afastamento do prefeito foi autorizado após votação na Câmara de Vereadores da cidade. De acordo com a chefe de gabinete da prefeitura, toda a parte burocrática para resolver a situação foi feita.

“O que tinha que ser feito, foi feito. Nós comunicamos a Câmara sobre o afastamento do prefeito. Foi votado em Câmara. O prefeito está afastado por um decreto legislativo até a alta médica dele”, disse Raucy Caldas.

Seguindo a linha sucessória, o vice-prefeito Carlos Ubaldino Filho deveria assumir o cargo. Mas, no dia 8 de setembro, ele alegou problemas pessoais e pediu licença da atividade. O pedido foi recusado pela Câmara, após uma reunião na quinta-feira (10) passada. A medida foi publicada no Diário Oficial na tarde desta sexta (11). Mesmo assim, o vice-prefeito não compareceu à prefeitura e nem assumiu o cargo.

O vereador Albérico Ferreira dos Reis, presidente da Câmara de Vereadores, alegou ter sido agredido depois de ir até a casa do vice-prefeito para entregar um ofício pedindo que ele assuma a gestão (veja aqui).

Quando tudo parecia que iria chegar ao fim, o vice-prefeito então colocou um atestado médico, alegando problemas de saúde. O documento venceu no sábado (12), no entanto, a cidade continua sem um gestor.

“Imediatamente, foi convocado o vice-prefeito. Primeiro ele deu a entrada no pedido de afastamento pessoal. Comunicou à Câmara. Depois, ele entrou com outro documento, entrou com atestado de que estava doente. O atestado venceu no sábado. A Câmara votou contra a saída, o afastamento dele em relação ao primeiro pedido dele, por problemas pessoais. A partir daí, a situação está indefinida”, contou a chefe de gabinete da prefeitura, Raucy Caldas.

Olindina

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade de Olindina tem 24.943 habitantes, e tem 0,559 de Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). O índice varia de 0 a 1, sendo que, quanto mais próximo de 1, maior é o desenvolvimento humano.

(G1/BA)