Fábrica de calçados Azaleia demite cerca de 600 funcionários em Itapetinga

-
Foto: Reprodução/Facebook

Ao todo, a unidade tem 640 funcionários, sendo que 600 vivem em cidades circunvizinhas e apenas 40 moram em Itapetinga. O sindicato acrescentou que conseguiu um acordo com a empresa e, se os funcionários quiserem morar em Itapetinga ou irem para o trabalho por conta própria, não serão demitidos e receberão ajuda de custo mensal de R$ 140. Já para os empregados que não aderirem, a empresa dará os devidos direitos trabalhistas e cestas básicas por um ano.

Em 2011, conforme informações disponíveis no site da Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Bahia (SDE), havia 18 fábricas do Grupo Vulcabras/Azaleia na região de Itapetinga, polo calçadista. A companhia é detentora das marcas Azaleia, Dijean, Olympikus, Opanka, Under Armour e Botas Vulcabras.

No seu site, a empresa informa que possui 14 mil funcionários distribuídos em duas unidades produtivas no Nordeste, uma em Horizonte, no Ceará, e outra em Itapetinga. Os calçados das marcas do grupo são vendidos em mais de 12 mil pontos comerciais do país, além de outros 20 países, com lojas próprias no Peru, Colômbia e Chile.

Outra fábrica parou máquinas e demitiu esta semana

Uma unidade da fábrica de calçados Ramarim, localizada em Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo baiano, anunciou, nesta terça-feira (26), o encerramento das atividades (veja aqui). Devido ao fechamento, relacionado à crise causada pela pandemia, há informações prévias de que mais de 300 funcionários foram demitidos. A indústria pertence a um grupo gaúcho e tinha sido instalada há apenas cinco anos. (Correio)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui