Feira de Santana: Grupo se aglomera e volta a protestar contra fechamento do comércio

-
Foto: Reprodução / Paulo José / Acorda Cidade

Um grupo de manifestantes se aglomerou e voltou a protestar contra a suspensão do funcionamento dos estabelecimentos comerciais e de serviços não essenciais em Feira de Santana, na tarde desta sexta-feira (29). A manifestação aconteceu em frente ao Hospital de Campanha que está sendo montado no Hospital Mater Dei, na Avenida João Durval.

Conforme noticiou o Acorda Cidade, os envolvidos no ato reclamaram do decreto que determinou que o comércio fosse fechado e questionaram sobre o andamento da construção da unidade hospitalar, os investimentos em saúde e a disponibilidade de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para o tratamento de pacientes com Coronavírus (Covid-19) na cidade.

Rony Ramos que estava na manifestação disse que o grupo já foi até a prefeitura, à Câmara de Vereadores para buscar uma resposta, uma conversa com os representantes do poder público, mas não teve sucesso. “A gente está sabendo que foram investidos cerca de 8 milhões nesta obra que já tem 50 dias. Pagamos nossos impostos e estamos aqui cobrando. Cadê a preocupação da prefeitura com a vida?”, questionou o manifestante ao Acorda Cidade.

Rony comentou ainda sobre a manifestação que o grupo realizou em frente a casa do prefeito Colbert Martins no último dia (25) e que o prefeito considerou como inadequada. Ele disse que os manifestantes têm direito de se manifestar seja em frente a prefeitura ou em qualquer via pública. “Pagamos impostos e temos direito manifestarmos em via pública, sem obstruir via nenhuma e nem o sossego alheio. Fomos a prefeitura cobrar esse hospital e não fomos atendidos. Fomos à Câmara e não fomos atendidos, viemos aqui para saber qual a empresa que está com a licitação desse hospital. Queremos saber quanto foi de fato investido e se estivermos errados que eles venham nos desmentir”, ressaltou.

Um ouro manifestante presente, Thiago Gonçalves, afirmou que gostaria que o prefeito apresentasse os resultados dos exames de coronavírus dos servidores municipais. “Não faz sentido culpar o comércio. Deveria apresentar os resultados dos exames de toda equipe da prefeitura”, concluiu. (BN)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui