Feira: Diretor do Conjunto Penal afirma que separou um espaço emergencial para receber presos com covid-19

-capitão Allan Araújo
Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade

O Ministério Público Estadual ajuizou na última sexta-feira (29), a ação civil pública para regularizar o fluxo de transferências de presos em Feira de Santana que estão com covid-19, no Complexo de Delegacias do bairro Sobradinho. A ação determina que que no prazo de dez dias os presos custodiados sejam transferidos para o Conjunto Penal de Feira de Santana. O diretor do Conjunto Penal de Feira de Santana, o capitão Allan Araújo, comentou sobre o assunto ao Acorda Cidade e informou que a o conjunto penal ainda não foi oficiado sobre o fato. Ele disse ainda que a unidade prisional dispõe apenas de um espaço emergencial para atender aos presos com coronavírus.

“Nós tomamos conhecimento através da imprensa dessa ação civil pública que foi deflagrada pelo Ministério Público na pessoa de cinco ou seis promotores, preocupados com essa questão do fluxo de presos em momento de pandemia do coronavírus. É bem verdade que a sociedade não está preparada para lidar com essa pandemia e isso não é diferente para o sistema, os órgãos de segurança. Especialmente a Polícia Civil e também o sistema prisional. Imagine uma unidade prisional como a de Feira de Santana com 1.700 presos recepcionando internos com confirmação de diagnóstico da covid-19. Imagine o desastre que isso pode acontecer. Porém, muitas medidas de segurança estão sendo adotadas preventivamente. Locais estão sendo adaptados para possíveis alocações emergenciais de internos que estejam acometidos com a doença e essa decisão se é que virá, nós não fomos oficiados ainda ,quando chegar nós teremos que cumprir”, afirmou.

Allan Araújo relatou que foi separado um espaço no Conjunto Penal de Feira de Santana para atender a esta demanda de presos com covid-19 e que o local não é ideal para que os presos estejam 100% seguros devido a existência de algumas limitações.

“Nó aguardaremos as instruções do estado sobre possíveis sugestões de outras unidades, aguardaremos tanto o encaminhamento da decisão, quanto a definição do que será feito”, frisou.

Visitas continuam suspensas

O secretário de administração penitenciária e ressocialização, Nestor Duarte prorrogou por mais 15 dias a suspensão das visitas religiosas e sociais nas unidades prisionais da Bahia. O diretor do Conjunto Penal de Feira de Santana concordou com a decisão e disse que a maioria dos presos também está consciente de que esta medida é para segurança e para preservar a saúde de todos .

“É uma decisão muito acertada e a maioria dos internos está de acordo, nós acreditamos por conta dos diálogos que nós estamos mantendo. A sociedade como um todo está muito temerosa com a covid-19, imagine aqueles que estão confinados, presos no sistema prisional. Eles sabem da importância dessa proteção, dessas medidas protetivas e a maioria está de acordo com essas medidas.Enquanto perdurar esse pico de contaminação, nós não temos como abrir os portões da unidade prisional, para que o vírus possa ter acesso”, acrescentou.

O capitão Allan Araújo relatou que até o momento não há nenhum caso de covid-19 confirmado no Conjunto Penal de Feira de Santana. Nem entre internos e nem entre os servidores. De acordo com ele todos os esforços estão sendo feitos para que a doença não adentre no sistema prisional. (Acorda Cidade)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui