“Fomos eleitos pelo grupo de Rogério e Euvaldo, mas eu quis tomar essa decisão de votar em Chico a presidência da Câmara”, diz Dema do Leite

Foto: Voz da Bahia

O vereador de Santo Antônio de Jesus Valdemar Barreto, conhecido Dema do Leite (PSB), já em seu 5º mandato, comentou acerca do seu voto para a presidência da Mesa diretora da Câmara de Vereadores. Em entrevista a Andaiá FM na quarta-feira (06), ele afirmou que não está no grupo de Genival Deolino (PSDB) e nem de Dr. Euvaldo Rosa (PSD), mas que está para Santo Antônio de Jesus, mas que se houver uma disputa entre os mesmos ele votaria no ex-prefeito Euvaldo Rosa.

“Na última eleição eu votei no ex-prefeito Rogério Andrade (PSD), mas agora é outra coisa, e tenho certeza que não haverá outra eleição assim para Rogério sair novamente candidato. Ele todo dia disse que o que tinha que acontecer já aconteceu, já foi prefeito e deputado, ele tinha vontade de voltar a ser deputado novamente. Como prefeito já votei nele duas vezes, inclusive quando ele deixou o grupo da gente e foram cinco vereadores (Dema do Leite, Délcio Mascarenhas (PSB), Fátima do Benfica (PSB), Uberdan Cardoso (PT) e Antônio Nogueira, Tom (PSB) na casa de Euvaldo pedir para ele voltar para o grupo.”, disse.

Segundo Dema, que agora é o vice-presidente da Mesa diretora, a decisão em votar em Chico de Dega a presidência da Câmara foi própria. Ele afirmou que já deu a sua contribuição à frente da Casa Legislativa por três vezes e por isso não concorreu à presidência.

“Não foi Chico que me procurou, eu quem procurei ele, conversei com Euvaldo e Rogério, e disse que estava mudando a minha opinião e que votaria nele. Fizemos isso, estamos tranquilos, sabendo que fomos eleitos pelo grupo, mas que eu tomei essa decisão. Não tinha como estarmos na chapa com um e votar em outro. Temos que modificar de vez em quando, não quis ser presidente porque já fui três vezes, já dei minha contribuição, já chega, cinco mandatos está bom demais. Peço a Deus que nenhum de meus filhos entre em politica, porque é desgastante e tenso”, concluiu.

Redação Voz da Bahia