José Aldo faz sua terceira luta nos galos em busca da 1ª vitória

Foto: Estephan Eelert / Estadão Conteúdo

Campeão do peso-pena entre 2011 e 2015, o brasileiro José Aldo busca a sua primeira vitória na categoria peso-galo na noite deste sábado, 19, no evento principal do UFC, em Las Vegas (EUA). Seu adversário será o equatoriano Marlon Vera, que completou 28 anos este mês, em luta que terá quatro rounds. Depois de trocar de categoria, em dezembro do ano passado, Aldo, 34, fez duas apresentações no octógono, uma delas valendo o título, mas não se saiu bem.

A estreia do Manaura no galo (61,2 kg) foi contra o compatriota Marlon Moraes, que o derrotou por decisão dos juízes. Em julho deste ano, em luta badalada, Aldo entrou no octógono para tentar se tornar dono do cinturão vago dos galos, porém, acabou nocauteado no último round pelo russo Petr Yan, de apenas 27 anos. Incansável na batalha para voltar a brilhar, o brasileiro pegará um adversário que começou no UFC apenas em 2014.

Desde então, Vera já sofreu seis derrotas, mas em contrapartida soma 15 vitórias, cinco delas por nocaute, e um empate. Na principal luta da noite, o norte-americano Stephen Thompson enfrenta o compatriota Geoff Neal pelo cinturão dos meio-médios. Outros quatro brasileiros vão se apresentar no evento, inclusive o algoz de Aldo, Marlon Moraes, que vai lutar pela mesma categoria contra o porto riquenho naturalizado americano Rob Font.

Completam o card principal o paraense Michel Pereira, no meio-médio, contra o americano Khaos Williams, e a catarinense Taila Santos, que encara a canadense Gillian Robertson no peso-mosca. Apelidado de ‘Paraense Voador’, o peso-médio Michel Pereira lutou em setembro deste ano e superou o russo Zelim Imadaev. Já Marlon Moraes tenta se recuperar da derrota para o americano Cory Shandhagen em outubro, em sua batalha pessoal pelo cinturão na divisão dos galos.

Vera provoca

Atualmente ocupando a sétima colocação no ranking peso-galo, José Aldo se despediu da categoria anterior em que fez história perdendo para o atual campeão peso-pena (65,8 kg) Alex Volkanovski. Em toda a carreira no UFC, ele acumula 35 lutas, das quais obteve 28 vitórias (17 nocautes) e sete derrotas. Já o equatoriano é o 15º colocado da categoria.

Aldo tem antecipado que qualquer que seja o resultado da sua terceira luta, ele já se reencontrou no UFC lutando na divisão dos galos. Aproveitando a deixa, o equatoriano Vera declarou esta semana que a luta será uma oportunidade derradeira para Aldo vencê-lo ou para ele ‘transferir’ o brasileiro em definitivo para a ‘divisão’ da aposentadoria compulsória.

“É uma chance que tenho de mandá-lo para casa e eu ficar. Eu vim para ser o campeão e vou tirá-lo dessa fila”, provocou Vera, vencedor de seis das suas sete últimas lutas. Sem papas na língua, ‘Chito’, como é conhecido o equatoriano, avisou a Aldo que fará de tudo para que essa seja a luta e o adversário mais “insanos” que o brasileiro já encarou. “Não estou aqui para fazer amigos e ser legal. Estou aqui para ganhar dinheiro e, um dia, ser campeão”, disparou ele.

Aldo assume uma postura mais moderada em relação a si mesmo, movido pela atual fase, em que conquistou sua última vitória apenas em fevereiro de 2019. Somando suas dez últimas lutas, alcança apenas quatro triunfos. “Não me vejo ganhando e falando em disputar cinturão ou algo do tipo, isso nem está na minha mente. Fiz minha carreira em cima de vitórias, e é isso que busco sempre. Primeiramente, tenho que vencer Marlon e depois chamar outro”, comentou o manauara.

Lutador profissional com carreira iniciada em 2004, o ex-campeão peso-pena estreou no UFC em 2011 e passou a reinar na categoria até 66 kg por cinco anos. Mas, em dezembro de 2015, sofreu um duro revés contra o irlandês Conor McGregor, que o superou por nocaute. Dando a volta por cima, o brasileiro recuperou o cinturão um ano depois, derrubando o norte-americano Frankie Edgar. Porém, na luta seguinte, voltou a perder o título, desta vez para o americano Max Holloway.

(A Tarde)