Mesmo com lucro, Bradesco demite mais de 200 funcionários baianos durante pandemia da Covid-19

-Foto: ilustrativa
Foto: ilustrativa

O Bradesco já demitiu mais de 200 funcionários na Bahia durante a pandemia da Covid-19, apesar de ter se comprometido a não desligar nenhum empregado, de acordo com o presidente do sindicato dos bancários no estado e vereador eleito de Salvador, Augusto Vasconcelos. 

Vasconcelos disse ao Metro1 que em todo o Brasil já foram demitidos mais de 2 mil funcionários pelo Bradesco. No primeiro trimestre de 2020, o banco foi a companhia que obteve maior lucro na América Latina.

“Não faz sentido algum uma das empresas mais valiosas da América Latina adotar postura de demissão de trabalhadores no momento em que está obtendo lucros”, afirmou.

Mesmo com queda em relação à 2019, apenas entre janeiro e setembro deste ano o Bradesco já lucrou mais de R$ 12 bilhões. O presidente do banco, Octavio de Lazari, entretanto, afirmou que até o fim de 2020 serão fechadas 1.100 agências. 

Até o fim de outubro, 683 agências já haviam sido fechadas ou incorporadas e, segundo Lazari, o movimento deve continuar no próximo ano. 

Ainda segundo o vereador eleito de Salvador, isso vai acarretar em um aumento da sobrecarga de trabalho para os funcionários que permanecem no banco, além de dificuldade de atendimento para a população. 

“Por trás de cada propaganda muito bonita que o banco faz nas grandes emissoras de TV, estão trabalhadores adoecendo com uma enorme sobrecarga de trabalho”, enfatizou.

Além das manifestações feitas pelos bancários nos últimos meses, algumas das demissões foram revertidas pelos sindicatos, administrativamente ou na Justiça, e outras ações individuais estão sendo ingressadas.

(Metro1)