Prefeito de Guanambi é denunciado por abrir licitação milionária a menos de dois meses para as eleições

-
Reprodução

Há menos de 60 dias para as eleições municipais, o prefeito de Guanambi, Jairo Magalhães (PSD), candidato à reeleição, abriu dezenas de licitações para adquirir itens como ferragens, cimento, cerâmica, equipamentos de iluminação pública, cestas básicas e contratação de mão de obra, realizadas praticamente no mesmo período de encerrar o mandato. Os itens licitados correspondem a uma quantia de R$ 8 milhões. Além disso, por meio do pregão eletrônico 020-20, aberto na última segunda-feira (21), o gestor municipal pretende comprar 946 caixas d’água em valor correspondente a cerca de R$ 1,3 milhão.

O vereador Agostinho Lira (DEM) denuncia o caso, afirmando que, ao longo dos últimos três anos, nenhum destes itens foram adquiridos pela prefeitura. “Está clara a real intenção de usar esses itens politicamente às vésperas do período eleitoral. Esta prática foi usada pelo gestor anterior, na eleição passada. A história está se repetindo. O atual gestor foi vitorioso com uma pequena margem de votos: cerca de 800, ou seja, menos de 1% do leitorado. Nos últimos anos, não foram concedidos reajustes aos servidores. A prefeitura nunca tinha recursos para investir em ações como essas que agora ele se propõe a fazer. Infelizmente, a possibilidade de reeleição desequilibra o pleito eleitoral e o uso da máquina pública por quem está no poder. Acredito muito na justiça eleitoral e no Ministério Público Eleitoral. Temos que frear esse tipo de artifício que é praticando por muitos que concorrem à reeleição”, declarou o parlamentar municipal.

Para Dr. Agostinho, como é conhecido na cidade, por ser médico, é tarefa dos vereadores fiscalizarem e denunciarem este tipo de prática. “É triste ver faltar medicamentos na farmácia básica do município e ver que inúmeros exames e serviços médicos aqui, em Guanambi, muitas vezes, demoram meses para serem agendados. Ruas sem pavimentação. Espaços públicos deteriorados. Iluminação pública deficitária, sem falar da falta de investimentos em ações de políticas sociais aos que mais precisam. Aí, de uma hora pra outra, com os cofres públicos repletos de recursos oriundos, principalmente, de repasses federais, o gestor resolve adquirir tantos itens que, sabidamente, podem ser usados como moeda de troca. Vamos estar atentos e confiantes de que os órgãos fiscalizadores coíbam essa farra com recursos públicos às vésperas da eleição. Está mais do que claro que a finalidade não é atender a quem mais precisa e sim usar recursos do município pra se reeleger”.

Além disso, o vereador ressaltou que, durante a pandemia as empresas do município não foram auxiliadas pela gestão municipal. “Cobrou-se todos os tributos sem se quer entender o momento que principalmente o nosso comércio passa. Só mandou fechar tudo e nada foi feito para amenizar as dificuldades dos nossos empresários. Dizia-se que o município estava com dificuldades. Agora, aparece tantos recursos para aquisição desses itens”, denunciou.

(A Tarde)