Quarto corpo é achado no Rio Paraguaçu após barco naufragar

-
Quatro crianças estavam na embarcação (Foto: Acervo pessoal)

Um quarto corpo foi encontrado no início deste domingo (5) às margens do Rio Paraguaçu, perto da Fazenda Haras do Belo Vale, segundo nota da Marinha do Brasil. A suspeita é de que se trata de mais uma vítima do acidente com um barco que deixou cinco desaparecidos em Cabaceiras do Paraguaçu (reveja aqui). No sábado, três corpos já haviam sido localizados. As buscas pelo último desaparecido continuam.

Ontem, foram achados os corpos de duas crianças e uma adolescente. Não foi informado pela Marinha se o corpo achado por volta das 00h30 de hoje é da última criança que estava sumida ou do adulto de 50 anos que também se afogou após o barco virar.

Bombeiros fazem buscas na região (Foto: Divulgação)

As buscas foram iniciadas no mesmo dia do acidente e alguns pertences das crianças foram encontrados na água, como sapatos e um boné. As famílias dos desaparecidos se misturaram aos pescadores para auxiliar os bombeiros. A procura por sobreviventes é realizada com barcos, motos aquáticas, canoas e lanchas.

O trabalho continua sendo feito pelas equipes da Marinha do Brasil, das equipes do 13º Grupamento Marítimo de Bombeiros Militar (GMAR) e de familiares e pescadores locais voluntários.

Corpos achados
A primeira vítima a ser encontrada foi Anatália. A adolescente de 14 anos foi encontrada pelo próprio irmão, que ajudava nas buscas, no início da manhã de ontem. Logo em seguida, foi encontrado o corpo de Adriele Pereira. No fim da manhã, o corpo de outra criança foi localizado pelos Bombeiros – segundo a família, trata-se de Luis Felipe Pereira, que também estava na embarcação.

“Estou aqui morta, arrasada”. O desabafo é da aposentada Anatália Mota dos Santos, 81 anos, bisavó das três crianças e avó da adolescente que estavam no barco. Por telefone, ao CORREIO, dona Anatália disse estar um pouco aliviada pelos corpos terem sido encontrados. Porém, ela afirmou que não tem mais esperanças de encontrar as outras duas pessoas desaparecidas – Cauã Pereira, 11, e um adulto – com vida.

“Como que vai achar mais alguém com vida? De ontem para cá foi que eu caí na real que não vão achar mais ninguém com vida. E não acharam mesmo”, disse, na tarde de sábado.

O que se sabe
Até o momento, nenhuma das vítimas foi oficialmente identificada pelos bombeiros. No momento do acidente, na quinta-feira (2), seis pessoas estavam a bordo de um barco. Apenas uma pessoa foi resgatada com vida até agora – o pescador Paulo Roberto, que é avô de três das crianças que estavam na embarcação e pai da quarta.

A sexta pessoa que estava no barco é um adulto, um amigo da família. Identificado como Roque, ele teria cerca de 50 anos, segundo relatos de familiares.

Segundo moradores da região, em alguns pontos do rio a profundidade chegam a 150 metros. “No local onde ocorreu o acidente, antes era um vilarejo que foi encoberto para a instalação de uma barragem”, contou Aloisio de Jesus, amigo da família.

Ele contou que é comum o registro de acidentes no rio e que dificilmente há sobreviventes. “Normalmente os corpos são encontrados em locais diante do ponto do naufrágio ou ficam presos embaixo das baronesas”, relatou. (Correio)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui