Robinho nega estupro a jovem e critica reportagem: ‘Infelizmente, existe esse movimento feminista’

-
(Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Um dia após ter a suspensão de contrato com o Santos anunciada, nesta sexta-feira (16), o jogador Robinho se manifestou sobre a condenação que recebeu a nove anos de prisão por estupro grupal contra uma jovem de origem albanesa. O jogador foi condenado em primeira instância na Itália.

Em entrevista ao UOL neste sábado (17), Robinho negou que tenha cometido o crime em 2013. Ele alega que os trechos da setença publicados na sexta-feira pelo Globo Esporte tenham sido tiradas de contexto. Além de reclamar da reportagem, Robinho culpou o movimento feminista, que luta pela igualdade de gênero entre homens e mulheres.

“Infelizmente, existe esse movimento feminista. Muitas mulheres as vezes não são nem mulheres, para falar o português claro, e se levantam contra. Eu sou casado, se eu sair na rua e uma mulher me chamar de lindo, tem uma conotação. Se eu mexer com você (entrevistadora) com falta de respeito, é totalmente diferente”, disse, em um dos trechos publicados pelo UOL.

Ao UOL, Robinho afirmou que não poderia dar detalhes do que aconteceu em 2013 por recomendação de seus advogados.

“Olha, tem muitas coisas que estão fora de contexto e que eu gostaria de te dar uma entrevista de uma forma mais ampla e explicar exatamente o que aconteceu. Mas como isso está em segredo de justiça, eu não posso falar exatamente. Gostaria muito de falar, mas isso pode ser que me prejudique. Eu confio na Justiça italiana. Não posso te responder exatamente. Mas certeza, sem sombra de dúvidas, que muita coisa saiu fora de contexto”, disse.

Robinho negou ter estuprado a jovem.

“Não tive relação sexual com ela, não. A gente teve relação entre homem e mulher, relações que homem tem com a mulher, mas não chegou a ter nenhuma relação sexual, nenhuma penetração, nada disso “, contou o jogador.

Segundo o jogador, seus amigos continuaram com a jovem naquele dia. “Meus amigos me contaram no outro dia que, com consentimento da garota, ficaram com ela, se relacionaram sexualmente porque ela quis. E que eles saíram daquela discoteca junto com a mesma garota e foram para outra discoteca. Foi o que eles me falaram”.

Ele ainda foi questionado pelo UOL sobre a frase “isso não significa transar”, que consta no processo. De acordo com a transcrição do diálogo, essa frase teria sido uma resposta à afirmação “eu te vi quando colocava o pênis na boca dela”.

“Muitas coisas que estão falando eu realmente não lembro, mas que houve um contato entre eu e ela, houve sim. Não estou negando isso. O que não houve foi algo forçado com ela, isso não teve”.

Mesmo afirmando que nunca foi violentado sexualmente, Robinho acredita que a reação da vítima não corresponderia à reação de uma vítima de estupro. “A pessoa que recebe um abuso, nunca recebi e ninguém da minha família, graças a Deus, que é algo muito sério, ela jamais sairia dali para ir para outro lugar com esses mesmos garotos”.

O jogador ainda afirmou que seu único arrependimento foi ter traído sua esposa Vivian, com quem é casado desde 2009 e tem três filhos.

“Em relação às frases que saíram, fora de contexto e para vender jornal e revista… Obviamente que eu mudei muito de sete anos pra cá, isso aconteceu em 2013 e eu mudei para melhor. A questão é: qual foi o erro que eu cometi? Qual foi o crime que eu cometi? O erro foi não ter sido fiel a minha esposa, não cometi nenhum erro de estuprar alguém, de abusar de alguma garota ou sair com ela sem o consentimento dela”, pontuou, ao UOL.