Salvador: Falsa veterinária é presa por manter 120 animais em condições insalubres no bairro São Cristóvão

-
(CRMV-BA/Divulgação)

Uma mulher de 48 anos, identificada como Zuelia Cordeiro Lopes, foi presa na noite desta quinta-feira (22) por causa de maus-tratos cometidos contra cães e gatos em Salvador. Ela foi detida nesta tarde em um imóvel, na Rua Acalanto, no bairro de São Cristóvão, onde foram encontrados cerca de 120 animais em condições insalubres. Ela foi presa após ser ouvida na Central de Flagrantes da Polícia Civil, na região do Iguatemi, pela delegada Marley Reis de Oliveira.

Zuelia se passava por veterinária e cobrava até R$ 2 mil para fazer procedimentos em cães e gatos. “Ela dizia que era veterinária em um local insalubre. Os animais foram encontrados claramente em condiçõesde maus-tratos, sem água e doentes”, disse Emerson França, comandante da Brigada K9 do Corpo de Bombeiros Voluntários de Salvador. No local, foi encontrada uma mesa cirúrgica, anestésico e alguns outros materiais.

Ainda segundo o comandante, Zuelia afirmou que era estudante de medicina veterinária, mas as investigações não confirmaram essa informação. “Ela diz que é estudante de medicina veterinária. Mas mesmo que fosse, não poderia fazer isso. Tivemos dez denúncias. Ela fazia no boca a boca e tinha uma clientela enorme. Para alguns procedimentos ela cobrava R$ 100 e pouco, para outros R$ 200 e pouco. Tivemos informações de que para alguns ela cobrou R$ 2 mil”, afirmou.

As investigações duraram cerca de três meses, após a Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia  (SSP-BA) receber as denúncias e encaminhá-las para a Brigada K9. A operação conjunta contou ainda com as polícias Civil e Militar e teve apoio do Conselho Regional de Medicina Veterinária da Bahia (CRMV-BA).

A médica veterinária Manuela Solca, membro da comissão de bem-estar animal do CRMV-BA, contou que a situação encontrada no imóvel foi “realmente deplorável”. “É um lugar muito sujo, cheio de cômodos. Em todo lugar que a gente ia tinha animais. Tinha tanto cães como gatos filhotes e adultos, alguns desnutridos e doentes. Alguns estavam presos e outros em caixase gaiolas. Uma tristeza. Além da situação precária, que envolve o bem-estar animal, a gente detectou alguns animais com zoonoses – doenças transmitidas entre animais e pessoas e que podem ser causadas por bactérias, parasitas, fungos e vírus – que poderiam funcionar como vetor pra transmissão”, explicou.

Manuela disse ainda que alguns gatos apresentavam indícios de doenças como cinomose e leptospirose. “A gente viu um animal que provavelmente tinha acabado de ser operado”, acrescentou. Alguns animais foram levados para a Central de Flagrantes e em seguida foram encaminhados para o Hospital Veterinário Diagnovet, no Rio Vermelho.

De acordo com o procurador jurídico do CRMV-BA Thiago Mattos, com o auto de prisão em flagrante emitido, deve ser marcada uma audiência de custódia na qual Zuelia Cordeiro Lopes será ouvida. “O Conselho foi acionado para acompanhar e verificar e foram constatados os maus-tratos”, afirmou. 

Mattos lembrou que a nova lei estabelece reclusão de dois a cinco anos, além de multa e proibição de guarda para quem praticar abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais.

(Correio)