Secretário da Casa Civil pediu demissão após polêmica com respiradores: ‘cansado’

-
Foto: Secom/GOVBA

Após pedir exoneração do cargo de secretário da Casa Civil da Bahia, Bruno Dauster confirmou ao Correio, nesta sexta-feira (5), que foi o responsável pela compra de 300 respiradores com a empresa Hempcare pelo Consórcio do Nordeste, que não foram entregues. Segundo ele, a aquisição foi feita dentro dos padrões e que foi realizada uma análise técnica antes de fechar o contrato. Entretanto, não há previsão de entrega do material. 

A empresa contratada pelo ex-secretário foi alvo, na segunda-feira (1º), da Operação Ragnarok, da polícia baiana, que prendeu três pessoas acusadas de fraude na venda de equipamentos hospitalares para o Consórcio Nordeste. Do total de respiradores, 60 viriam para a Bahia.

O estado tenta recuperar o investimento de R$ 9,6 milhões nos equipamentos usados no tratamento dos pacientes de covid-19 em situação mais grave.

‘Cansado’
Sobre a demissão do cargo, o ex-secretário explicou que a pandemia do novo coronavírus levou-o à exaustão, e que esse seria o motivo do afastamento.

“Estou cansado. Ficou muito cansativo com o covid e preciso de um tempo, preciso respirar”, declarou Dauster.

Em nota, a assessoria da Casa Civil informou que a exoneração do secretário foi por motivos pessoais e que ele agradece a oportunidade, colocando-se à disposição do Governo da Bahia para defender projetos que gerem emprego e desenvolvimento para o Estado.

A secretária de Relações Institucionais da pasta, Cibele Oliveira de Carvalho, também pediu demissão da pasta. Ela aproveitou o prazo estabelecido pela Justiça Eleitoral para desincompatibilização de cargo público para ter condições legais de concorrer à Prefeitura do município de Rafael Jambeiro, de onde já foi prefeita. (Correio)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui