Sindicato dos Bancários protesta contra demissões e fechamento de agências em Feira de Santana

-
Reprodução // Acorda Cidade

Sindicato dos Bancários de Feira de Santana, em apoio ao Dia Nacional de Luta contra as demissões nos bancos privados que foi celebrado na última sexta-feria (15), se manifestando contra o fechamento de agências na cidade, bem como o atendimento que tem sofrido muitas críticas de clientes em virtude da redução de bancários dos seus postos de trabalho.

Sandra Freitas, presidente do Sindicato, informou ao Acorda Cidade que os bancos Santander, Itaú e Bradesco lucraram 20 bilhões de reais apenas no primeiro semestre de 2020, e mesmo com tantos lucros demitem os funcionários. Além disso, ela frisou que para piorar a situação, o banco Bradesco e o banco Santander acabaram com a função de caixa no interior das agências em Feira.

“O fechamento de agências que vai refletir em mais demissões e piorar o atendimento. O Bradesco da Avenida Senhor dos Passos (antigo HSBC) vai fechar, assim como a agência menor do Itaú da Rua Conselheiro Franco. Em 15 dias, até ontem, o Bradesco demitiu 10 funcionários e o Santander de junho até agora já demitiu 8. O Itaú já demitiu 2 funcionários e então nós temos 20 bancários a menos só da rede privada em Feira de Santana”, contou.

A sindicalista observou que no início do ano, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Nordeste fizeram os seus planos de demissão voluntária e houve uma redução de aproximadamente 30 bancários. “Isso quer dizer que quase 10% da categoria foi reduzida esse ano, em torno de 50 bancários já foram eliminados dos postos de trabalho, só em Feira de Santana. Isso reflete nas grandes filas das agências”, comentou.

De acordo com Sandra, os clientes podem denunciar o mau atendimento das agências bancárias através do telefone 145, do Banco Central.