Umidade relativa do ar chega a 9% e temperatura a quase 38ºC em Guanambi

-
(foto: Agência Sertão)

A primavera começou com muito calor e tempo bastante seco em Guanambi. Nesta segunda-feira (28), a umidade relativa do ar chegou a 9% na cidade. O registro foi feito pela estação meteorológica do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), localizada no Aeroporto Municipal Isaac Moura Rocha.

O momento mais seco do dia foi registrado por volta das 15h, no mesmo período, a temperatura chegou a 37,6ºC, maior temperatura registrada em 2020. Anteriormente, a maior temperatura do ano havia sido registrada no dia 19 de setembro, quando os termômetros marcaram 36,9ºC.

O tempo seco quente deve permanecer pelo menos até meados de outubro. As temperaturas devem subir ainda mais nos próximos dias e a umidade relativa do ar continuará a níveis críticos, A partir da segunda quinzena do mês podem ocorrer as primeiras chuvas significativas na região. No entanto, as previsões mais confiáveis apontam para intensificação do período chuvoso entre novembro e dezembro.

Durante a manhã, o Inmet emitiu um alerta laranja sobre os problemas da baixa umidade relativa do ar, como risco de incêndios florestais e à saúde, como ressecamento da pele, desconforto nos olhos, boca e nariz. A massa de ar seco se concentra sobre toda a região central do país, extrapolando para áreas do Sul, Sudeste e interior o Nordeste.

Alerta do Inmet emitido na manhã desta segunda-feira

Nestas condições, a recomendação é para que as pessoas bebam bastante líquido, evite atividades físicas no período da tarde, evite exposição ao sol nas horas mais quentes do dia, use hidratante para pele e umidifique o ambiente.

O dia também foi bastante quente em Bom Jesus da Lapa, onde os termômetros marcaram 39,6ºC. Em Ibotirama, a temperatura chegou a 39,9ºC. Nestas duas cidades, a temperatura máxima já havia chegado à casa dos 40ºC no dia 19. Em Bom Jesus da Lapa chegou a chover na última semana.

Em Brumado, a máxima desta segunda-feira foi de 37,4ºC, a maior registrada este ano até agora. Em Vitória da Conquista, cidade conhecida pelo frio característico, também começou a fazer calor, com a máxima chegando a 32,5ºC, temperatura que não era registrada desde fevereiro.

Queimadas

Várias queimadas estão ocorrendo na região nos últimos dias. No fim de semana passada, um incêndio atingiu uma área de Gerais próxima à cidade de Caetité. Neste domingo, dois incêndios destruíram cerca de 150 hectares de vegetação na região do Poço do Magro em Guanambi. Outros 100 hectares foram queimados em outros dois incêndios, um próximo à divisa com Candiba e outro às margens da BA-567

Última temporada chuvosa

Cheia do riacho Belém em Guanambi no mês de Janeiro – Rômulo Gonçalves – Take Produções

As chuvas que caíram entre o final de 2019 e início de 2020 na região de Guanambi foram as mais volumosas desde 2006. No centro da cidade, o pluviômetro da Agência Sertão registrou acumulado de 802 mm, 200 mm a mais do que o registrado pelo mesmo pluviômetro no período anterior. Em algumas regiões mais altas, próximas à Serra Geral, como nas regiões dos distritos de Guirapá (Pindaí) e Morrinhos (Guanambi), alguns moradores registraram acumulados de até 1.100 mm.

Toda essa chuva contribuiu para amenizar a seca característica da região. Embora ainda falte pelo menos dois meses para as próximas chuvas, a paisagem vista agora é bem diferente do que se via há um ano. Ainda há bastante água retida nas lagoas, barragens e represas, e ainda corre por alguns rios e córregos nas regiões de maior altitude, o que é bastante raro nesta região semiárida.

Reservatórios

Lago da Barragem de Ceraíma – Guanambi (BA) / Foto: Tiago Marques | Agência Sertão

Os principais reservatórios de água de Guanambi perderam pouco volume após 148 dias de estiagem. O lago da barragem do Poço do Magro atingiu seu maior volume no final de abril, 69%. Passados três meses, o volume ainda está em cerca de 50,7%, segundo a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf).

Já a barragem de Ceraíma chegou a 100% de sua capacidade ao final do período chuvosos. Mesmo com o uso múltiplo da água, incluindo abastecimento do Perímetro Irrigado e entorno, além da complementação do sistema de abastecimento humano, o reservatórios ainda possui 86% de sua capacidade.

Os dois reservatórios do município de Urandi, Estreio e Cova da Mandioca, estão em situações diferente dos reservatórios de Guanambi. O primeiro chegou a ter 44% de seu volume útil no fim de abril e agora está com 24%, enquanto o segundo atingiu 21% e agora está com apenas 9%.

Rio São Francisco

Rio São Francisco em Carinhanha (BA) – Foto: Tiago Marques | Agência Sertão

Os três grandes reservatórios do rio São Francisco estão com volumes bastante significativos. Três Marias, em Minas Gerais, armazena 67,91% de sua capacidade, enquanto Sobradinho e Itaparica, ambos na Bahia, têm 67,83% e 69,6% respectivamente.

O bom volume nas hidroelétricas garante a defluência regulada em todo o curso do Velho Chico, deixando no passado as imagens do rio bastante seco registradas nos anos anteriores.

(Agência Sertão)