Vídeo: Acusado de assassinar taxista confessou o crime para Polícia e disse que ele o reconheceu

-
Na foto acima o taxista assassinado em Santo Antônio de Jesus / Foto: Redes Sociais

O taxista Edivaldo de Andrade, 59 anos (ver a foto acima), foi morto vítima de latrocínio na tarde desta segunda-feira (19), em Santo Antônio de Jesus, e menos de duas horas após o crime, a Policia já havia chegado ao principal suspeito do latrocínio (roubo seguido de morte). Na noite de hoje, um casal foi preso e conduzido a 4ª Coorpin onde foram ouvidos (veja aqui).

Em contato com a reportagem do Voz da Bahia, o delegado Dr. Adilson Bezerra informou nessa operação da Polícia Civil, que contou com o apoio da Polícia Militar, após levantamento de informações e provas também em um vídeo descoberto por investigadores da Polícia, se dirigiu ao endereço do acusado que é morador do bairro São Paulo.

Na residência, onde o cidadão estava na companhia de sua vizinha, foi encontrado pela Polícia Civil uma quantidade significativa de drogas, balança de precisão para utilização em drogas, munições, além dos indícios do crime. O Dr. Adílson revelou que ambos foram conduzidos sob suspeita de latrocínio (roubo seguido de morte) e a mulher por tráfico de drogas.

“Ao ser abordado ele demonstrava tranquilidade, a medida que a polícia estava conseguindo provas o acusado demonstrou nervosismo. Ele chegou na residência e pôs a roupa para lavar devido a resquícios de sangue, a polícia parou a máquina de lavar e esse foi um dos motivos que nos levou a autoria do crime. Ele não demonstrou remorso em nenhum momento”, disse.

O delegado ainda revelou ao Voz da Bahia, que o acusado, cuja identidade não foi revelada, é deficiente físico (não tem a perna direita), já era conhecido da polícia pela prática de assaltos e tráfico de drogas. Dr. Adílson informou que o suspeito confessou o crime durante o interrogatório, a motivação foi por ter sido reconhecido pela vítima.

“O acusado alegou uma corrida de taxi para o Cidade Nova 2, logo após anunciou o assalto, colocou a arma no pescoço da vítima e mandou ir para fora da cidade. Quando a vítima tentou argumentar com ele, na tentativa de o convencer a deixar o mundo do crime, quando disse que o reconhecia, foi o momento que ele efetuou o disparo. As investigações não liga um segundo suspeito”, explicou.

De acordo com o delegado Bezerra, o crime de latrocínio tem pena mínima de 20 anos, o acusado responderá por latrocínio, tráfico de entorpecentes, posse e munição de arma de fogo, “ele terá pena de 20 a 30 anos de prisão. O acusado se encontra recolhido na carceragem da delegacia e será encaminhado para o presídio de Salvador”, concluiu Dr. Adílson.

Reportagem Voz da Bahia