Universidades federais são responsáveis por quase 70% das notas máximas no Enade

-
Foto: Divulgação

De acordo com o índice divulgado nesta terça-feira, 20, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que mede a qualidade dos cursos com base no desempenho dos alunos no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), dos 510 cursos de graduação que receberam a nota máxima no Conceito Enade, 67% são de universidades federais, nos quais devem sofrer cortes de R$ 994,6 milhões no orçamento de 2021.

Dos demais, 18% são de universidades privadas (com ou sem fins lucrativos); 14,5%, de estaduais; e 0,5%, de municipais.

O conceito Enade varia de 1 a 5 – quanto mais alta for a pontuação, melhor o desempenho dos estudantes. De 8.368 cursos, 510 atingiram a maior avaliação.

“Os resultados são relativos. Houve uma grande expansão do ensino privado nos últimos anos. É preciso agora trabalhar a questão relativa à qualidade”, afirmou o presidente do Inep, Alexandre Lopes, durante a coletiva de imprensa em que os dados foram divulgados.

Segundo a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), o Ministério da Educação (MEC) planeja cortar R$ 994,6 milhões do orçamento de universidades e institutos federais de ensino em 2021 – 17,5% das despesas “não obrigatórias” (discricionárias). (EBC)