25 coordenadores do Inep pedem desligamento do órgão às vésperas do Enem

Foto: Divulgação/Govbr

Com a proximidade das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), marcadas para os dias 21 e 28 deste mês, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep), que organiza o exame, está passando por um período turbulento.

Na quinta-feira da semana passada, servidores do órgão, que é ligado ao Ministério da Educação, interromperam as atividades e realizaram um protesto contra o presidente do Inep, Danilo Dupas. De acordo com os relatos dos servidores, a aplicação das provas do Enem está sendo elaborada sem a atuação das Equipes de Incidentes e Resposta (ETIR), por decisão “arbitrária e unilateral” de pessoas com cargos de chefia, ligadas à presidência do instituto, comandada por Dupas.

Na sexta-feira, dois coordenadores pediram demissão e, nesta segunda, outros 25 coordenadores solicitaram desligamento.

No pedido de dispensa, os servidores alegam que o motivo é a fragilidade técnica e administrativa da atual gestão do órgão.

Em nota, a Associação dos Servidores do Inep (Assinep) lamentou “profundamente” a situação de o instituto ter “chegado a esse ponto”. Afirmou ainda que os demais servidores que continuam no Inep vão seguir trabalhando para que as demandas do órgão sejam cumpridas, mas cobrou uma “atuação urgente” do Ministério da Educação (MEC) e do governo federal para resolver a questão. (bahia.ba)