83% dos brasileiros acham que dose de reforço da vacina deve ser anual, diz pesquisa

Foto: Matheus Pereira/GOVBA

Para cerca de 83% dos brasileiros a vacina de reforço contra a covid-19 deve ser aplicada de forma anual. Os dados foram obtidos através de uma pesquisa do instituto Ipsos, realizada em 13 países. Deste total, apenas na Rússia a maioria da população não acredita na necessidade de incrementar a imunização.

O levantamento também mostra que o Brasil é o país com mais pessoas que estão propensas a tomar uma nova dose da vacina mesmo após o fim do ciclo inicial de imunização. Segundo a Ipsos, 96% dos brasileiros concordam com a afirmação “se o reforço da vacina estivesse disponível para mim hoje, eu o tomaria”.

Em relação a prioridade da aplicação, 69% dos entrevistados brasileiros acreditam que a primeira dose deverá ser aplicada para todos que a quiserem antes do início do reforço. Por fim, apenas 23% dos brasileiros acreditam que, com a diminuição do número de casos de covid-19 e a retomada da vida pré-pandemia, não serão necessárias novas doses do imunizante contra o coronavírus.

A pesquisa foi realizada entre os dias 26 e 30 de agosto em 13 países, com um total de 9,5 mil pessoas, entrevistadas através da internet. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos. Além do Brasil, os outros países pesquisados foram Austrália, Canadá, China, França, Alemanha, Itália, Japão, México, Rússia, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos. (Bahia.ba)