Advogado de Luiz de Britto sustenta tese de “tiro acidental” e diz que namorada agredia ele

O advogado Domingos Arjones, que defende o também advogado José Luiz de Britto Meira Júnior, definiu o estado do seu cliente, após o crime brutal cometido por ele, em duas palavras dramáticas: “completamente devastado”.

Segundo Arjones, Luiz de Britto não teve a intenção de matar sua namorada Kézia Stefany da Silva Ribeiro, de 21 anos. O crime aconteceu em um prédio de luxo no Rio Vermelho, na madrugada do último domingo (17). “Foi um disparo acidental. Ela foi para cima dele e ele reagiu, mas não queria matá-lo”, pontuou.

Arjones disse que tem mantido contato com Britto e que sente que “ele não está bem”.O advogado de defesa ainda afirmou que tem levantado testemunhas que mostram que o relacionamento entre dois sempre foi “tumultuado”, e que Britto possui inúmeras marcas de agressões físicas cometidas pro Kézia. “Foi uma tragédia o que aconteceu. Não era para terminar dessa forma”, diz.

Ainda segundo ele, seu cliente não fugiu da cena do crime. A informação que circula é que Britto levou Kézia para o HGE (Hospital Geral do Estado) e foi até a casa de parentes. “Ele estava sem os documentos em mãos e saiu para providenciar tudo. Ele prestou socorro a ela ainda no apartamento e depois levou para o Hospital”, afirma. (Metro1)