Antes de deixar Caixa, Guimarães tentou indicar sucessor também envolvido em denúncias de assédio

Enquanto estava sob aviso de que iria deixar a presidência da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães tentou indicar um sucessor. Ele queria que número dois no banco, o vice-presidente de Negócios de Atacado, Celso Leonardo Barbosa, assumisse o cargo que ele estava deixando. As informações são da coluna de Lauro Jardim, do jornal O Globo.

O movimento de Guimarães foi contido, após as denúncias de assédio chegarem também a Barbosa, que é lutador jiu-jitsu e MMA.

O governo optou então por Daniella Marques, que comanda a Secretaria de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia desde abril. Ela teria sido peça importante para ajudar a convencer o presidente Jair Bolsonaro sobre a gravidade das denúncias de assédios e o desgaste que elas trazem para o governo federal. (Metro1)