Bolsa Família 2021: Veja o que o governo quer mudar no pagamento do programa

Imagem: Divulgação

O governo pretende ampliar o valor médio do Bolsa Família a partir de agosto ou setembro. A proposta anunciada pelo Presidente da República é que o valor médio, hoje de R$ 192, passe para R$ 250.

O Presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), afirmou que o valor médio do Bolsa Família será aumentado. No ano passado ele já tinha falado que tinha intenção de ampliar o programa neste ano.

Dessa maneira, passará a ser de R$ 250 a partir de agosto ou setembro. A ampliação acontecerá após o fim do auxílio emergencial marcado para julho. Como a média do programa também é de R$ 250, o fim do pagamento não irá deixar de atender os beneficiários do Bolsa Família.

Atualmente, o Bolsa Família contempla 14,6 milhões de famílias brasileiras. O programa é destinado às famílias em situação extrema pobreza. Sendo assim, a renda mensal per capita deve ser de até R$ 89.

As famílias em situação de pobreza também podem ser contempladas. É considerado em situação de pobreza as que possuem uma renda mensal per capita de até R$ 178. Porém, para receber a ajuda financeira é necessário ter em sua composição: gestantes, nutrizes, crianças e/ou adolescentes até 17 anos.

Em ambos os casos, a família deve estar inscrita no Cadastro Único do Governo Federal (CadÚnico). Além disso, precisa estar com os dados e informações atualizadas há, pelo menos, dois anos.

Criação do Bolsa Família
O benefício existe desde 2004, quando foi criado pelo ex-presidente Lula. Porém, a medida se trata de uma unificação de três programas criados durante a gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso:

Bolsa Escola: criado em 2001;
Vale Gás: criado em 2002;
Bolsa Alimentação: criado em 2001.
O Bolsa Família é composto por diversos benefícios. Cada um é destinado a um grupo. Dessa maneira, o valor recebido pelas famílias é variável, conforme a sua composição familiar. Cada família pode acumular até cinco benefícios, com exceção do Benefício jovem. Veja abaixo os tipos:

Benefício para crianças e adolescentes de 0 a 15 anos: R$ 41;
Benefício para gestantes (duração de nove meses): R$ 41;
Benefício para nutrizes (crianças entre 0 a 6 anos): R$ 41;
Benefício variável jovem (adolescentes entre 16 e 17 anos – cada família pode acumular até dois): R$ 48;
Benefício de superação a pobreza: valor variável. (Fonte: Fdr)