Deputado do PT se junta à oposição e pede investigação do MP no ferry boat

Foto: Vagner Souza/BNews

O deputado Paulo Rangel (PT), vice-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), declarou apoio à oposição na Casa e defendeu uma investigação do Ministério Público da Bahia (MP-BA) sobre o reajuste das tarifas do sistema ferry-boat (reveja aqui). O petista, aliado do governador Rui Costa (PT), fez uma publicação nas redes sociais nesta segunda-feira (8) criticando as condições do equipamento.

“Falta material de higiene básica; material de combate aos efeitos da pandemia (como álcool e sabão por exemplo); e os banheiros, além de possuírem odor insuportável, encontram-se totalmente sucateados e com grande parte, inclusive, sem fechaduras nas portas”, relata Rangel no texto. O deputado do PT diz que “concorda plenamente” com os oposicionistas ao governador. 

Na publicação, o vice-presidente da AL-BA cobra fiscalização da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicação da Bahia (Agerba), autarquia vinculada à Secretaria da Infraestrutura. “Ao invés de rejuste de tarifa, deveria ser apresentado, se é que existe, o talonário de notas de multas sobre a empresa que é responsável pelo transporte marítimo da Baía de Todos os Santos.”

Sem temor

Em entrevista ao BNews, o deputado Paulo Rangel disse não temer retaliações do governo Rui Costa após ser questionado sobre a repercussão da publicação. “Não acho que tenha a ver com política. Acho o governo excelente”, ressaltou.

O reajuste de mais de 10% nas tarifas do sistema ferry-boat teve início nesta segunda. O preço para passageiro passou de R$ 5,10 para R$ 5,60 de segunda a sexta-feira, e R$ 6,70 para R$ 7,40, um aumento de 10,7%.

Para carros de pequeno porte, o valor foi de R$ 45,70 para R$ 50,60 de segunda até sexta, e de R$ 64,70 para R$ 71,70 nos finais de semana e feriado. Para veículo grande, o valor foi de R$ 58,40 para R$ 64,70 em dias de semana e de R$ 82,50 para R$ 91,40.

Crise na base

O governador Rui Costa (PT) tem protagonizado conflitos públicos com a própria base. Mais recentemente, o petista se envolveu em uma polêmica ao chamar de “traíras” os deputado federais baianos que votaram a favor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos precatórios, que prevê o adiamento do pagamento pelo governo Bolsonaro de dívidas frutos de decisões judiciais.

“Ano que vem vou rodar essa Bahia inteira pedindo pra separar o joio do trigo. É revoltante o que esse povo faz com o povo pobre. Deputado eleito com o apoio da população votando contra a população”, ainda disse o governador.

A declaração repercutiu mal entre os aliados. Pelas redes sociais, o deputado federal baiano Otto Filho (PSD) disse que a relação do seu partido com o PT no Estado estava abalada. “O governador Rui Costa orientou o PSD, liderado pelo senador Otto Alencar (PSD), a conversar com o presidente Arthur Lira e viabilizar o melhor relatório da PEC dos Precatórios. Portanto, houve a inteira concordância do governador.”

por Pedro Vilas Boas / BNews