Ilha de Maré: Defensoria oficia Coelba para retirar colmeia em poste após moradores relatarem ataques

-
Divulgação

Há pelo menos três anos moradores da comunidade de Praia Grande, em Ilha de Maré, sofrem com picadas de abelhas que se instalaram em poste de iluminação situado na Travessa da Palha, próximo ao posto de saúde local. Ao transitarem pelas ruas, ou até mesmo dentro de suas residências, as pessoas são constantemente picadas pelos insetos voadores. É o caso de Paula Moraes, que buscou a Defensoria Pública do Estado da Bahia – DPE/BA para tentar resolver a questão.

“Venho pedir socorro, pois convivemos há mais de três anos com abelhas em um poste em frente à minha residência. As abelhas vêm nos assustando todos os dias dentro de casa, nos atacando, nos picando. Por favor, me ajude”, suplicou a moradora por meio de mensagem enviada à defensora pública Mônica Aragão, coordenadora de Curadoria Especial da DPE/BA.

A moradora fez o primeiro contato em uma transmissão ao vivo em rede social da Defensoria baiana na última quarta-feira, 18, sobre a visita técnica promovida pela Instituição à Ilha de Maré. Na ocasião, foram visitadas as comunidades de Praia Grande e Bananeiras, onde foram relatados tanto os problemas identificados no local quanto as providências a serem tomadas pela Instituição.

“A moradora comentou em nossa transmissão que precisaria do auxílio da DPE/BA e, em seguida, me mandou uma mensagem pelas redes sociais explicando a situação. Nós dialogamos com a Especializada de Direitos Humanos, que imediatamente oficiou a Coelba solicitando a fixação de uma data para a remoção das abelhas do local”, explicou a coordenadora de Curadoria Especial.

Assinado pelas coordenadoras da Especializada de Direitos Humanos, Eva Rodrigues e Lívia Almeida – a qual também acompanhou a visita técnica a Ilha de Maré –, o ofício encaminhado pela Defensoria da Bahia à Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia visa preservar a integridade dos habitantes e indivíduos que circulam na comunidade de Praia Grande e também alocar os insetos em um ambiente adequado à sobrevivência dos mesmos.

A defensora pública Mônica Aragão explicou ainda que a Defensoria já solicitou uma reunião Junto à Prefeitura de Salvador para tratar de todas as demandas identificadas em Ilha de Maré e, no atual momento, aguarda uma resposta do Poder Municipal.

Os moradores de Ilha de Maré, bairro de Salvador localizado à beira da Baía de Todos os Santos, já haviam feito uma reclamação perante o Centro de Controle de Zoonoses, da Prefeitura soteropolitana. Em resposta, a Prefeitura informou a impossibilidade de retirar sozinha a colmeia, vez que o enxame de abelhas se acomodou em um poste, cuja responsabilidade é da Coelba. (DPE-BA)