Luciano Huck discute com diretor em gravação de documentário do Domingão

Foto: TV Globo

Luciano Huck ganhou um importante papel na Globo: comandar o Domingão e substituir Faustão, que foi para a Band. A entrada do apresentador no programa dominical precisou ser rápida, após a saída repentina do antigo apresentador, o que causou certa tensão no plim plim.

Em Domingão com Huck: A História da História, documentário do Globoplay, foram expostos os bastidores do programa de Luciano, mostrando situações que aconteceram antes da estreia do apresentador. Em determinado momento, o marido de Angélica discute com o diretor da atração.

O diretor e Huck falavam sobre como a estreia na atração deveria ser tratada. “Eu não trataria isso aqui como uma estreia”, disse Hélio Vargas no momento em que acontecia uma reunião antes da estreia de Luciano no programa.

“Eu trataria”, rebateu Huck. “É só uma reflexão”, disse Hélio, por sua vez. Luciano, então, continuou: “Não, nesse voto você vai ser vencido. Eu não vou concordar, porque é o dia que a dona Angelina [mãe de Angélica] vai me ver no domingo. Eu não quero ir lá tampão. A gente tá no meio de uma pandemia…”.

Hélio interrompeu o apresentador: “Então não é estreia”. “Então não vamos fazer […] Se o Caldeirão está acabando no sábado e eu estou indo para o domingo e não é estreia, é o quê, então? É tapar buraco?”, rebateu Luciano.

“Esse programa tá tapando um buraco”, rebateu Hélio. O marido de Angélica, então, deu a sua resposta: “Então a gente não vai [tapar o buraco de Faustão]”.

Diretor de Luciano Huck concorda com apresentador em discussão

Enquanto discutiram, Hélio Vargas contou que concordou com a posição de Luciano, que precisou sair rapidamente do sábado e ir para os domingos para substituir Fausto Silva às pressas:

“Mas o discurso, se for só interno, ninguém ouviu. Aí é uma reunião, não é um discurso. Discurso você fala para fora, para dentro é nada. Por que não tem mais bailarina nesse palco? O que a gente veio fazer aqui, por que eu não fiquei no sábado?”.

Eu tô só falando… A gente tem que ouvir e não pode falar nada?”, quis saber Hélio. Luciano, sem medo, afirmou: “Tem que falar tudo, mas eu não tenho que concordar”. (Terra)