“Medidas restritivas poderão vir a ser prorrogadas até domingo (07/03) em S. A. de Jesus”, informa o presidente da Câmara de Vereadores

Presidente da Câmara de Vereadores, Chico de Dega (DEM) / Foto: Voz da Bahia

O município de Santo Antônio de Jesus pode ter as medidas restritivas prorrogadas até o próximo domingo (07/03), devido ao aumento dos casos de coronavírus. Esta informação foi divulgada pelo presidente da Câmara de Vereadores da cidade, Francisco Damasceno, o Chico de Dega (DEM).

REUNIÃO COM O PREFEITO E VEREADORES:

Em entrevista a Recôncavo, Chico afirmou que após reuniões com o prefeito Genival Deolino (PSDB), que o gestor não pode ser contra as medidas do Governo do Estado, “tivemos uma reunião com os vereadores, tivemos também uma com o prefeito, há uma dificuldade do poder executivo não ter a mesma função de quando começou a pandemia há 1 ano atrás, diante das afirmações do Governo Federal que disse que colocou mais de R$ 10 milhões e até agora não chegou nada nos cofres públicos referente a Covid-19. A gestão tem que fazer ações com os recursos que veio para a saúde. Eu tenho opinião, acho que fechar o comercio não é viável, eu sou contra a atitude do Governo do Estado, não politicamente. Se eu preguei no passado tenho que pregar no presente. Quando fechamos o comercio gera desemprego, as pessoas ficam sem alimentação, não morre de Covid-19, mas vai morrer da consequência da fome”, falou.

POSSIBILIDADE DE PRORROGAÇÃO DAS MEDIDAS RESTRITIVAS:

Ainda de acordo com Chico de Dega, caso o Governador Rui Costa (PT) decrete a continuação das medidas restritivas em toda a Bahia, o prefeito de Santo Antônio de Jesus, Genival Deolino, não irá descumprir a ordem, apesar de ser contra o fechamento do comercio, “na reunião com os vereadores, prefeito, secretário de saúde e ouvidores, estávamos discutindo isto. Provavelmente, o Governador estará estendendo este decreto até domingo, o prefeito não se mostrava satisfeito, mas como o decreto do Governador é mais forte do que o poder do prefeito, o gestor pode sofrer por desobedecer uma ordem maior. Se fosse por desejo facultativo, Santo Antônio de Jesus adotaria medidas diferentes. Se Rui Costa decretar, o prefeito Genival não vai descumprir este decreto”, concluiu.

Redação: Voz da Bahia