Papa Francisco chega ao Japão após visita à Tailândia

-
O Papa encontra-se hoje na nunciatura com os bispos do país. Imagem: Divulgação

O Papa Francisco enviou hoje telegramas de felicitações aos representantes da China, Taiwan e Hong Kong após sobrevoar seu o espaço aéreo e quando se deslocava da Tailândia para Tóquio.O avião da companhia tailandesa que transportava o chefe da Igreja Católica aterrou no Aeroporto Internacional de Tóquio às 17h25, horário local (6h25 em Brasília), com forte chuva e vento e sem uma cerimônia formal de boas-vindas.

Como é esperado e habitual, o Vaticano enviou telegramas para os países que o avião que o transporta sobrevoa, nomeadamente Taiwan, ilha Sanya (China) e Hong Kong (China).

“Rezo para que Deus Todo-Poderoso garanta o seu bem-estar e paz”, foram as palavras de Francisco a Carrie Lam, chefe do Governo de Hong Kong, sem referência à situação de crise política e as manifestações na região especial chinesa.

Também foram enviados telegramas para o presidente chinês, Xi Jinping, a quem o papa enviou “bênçãos abundantes de paz e alegria” e para o presidente de Taiwan, Tsai Ing-Wen, que transmitiu “bênçãos divinas abundantes de paz”.

O Papa encontra-se hoje na nunciatura com os bispos do país e no domingo viajará para as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki.

Francisco inicia hoje uma visita ao Japão, segunda etapa da sua deslocação à Ásia, onde vai divulgar uma mensagem sobre o desarmamento nuclear.

Francisco é o chefe da igreja católica que mais condenou o uso de armas nucleares e vai falar sobre o tema no domingo nestas duas cidades destruídas pelas bombas atómicas lançadas pelos Estados Unidos em 1945.

No domingo, viaja para Nagasaki e o programa divulgado pelo Vaticano inclui uma “mensagem sobre as armas nucleares”, no Parque da Bomba Atómica, uma deslocação a Hiroshima e encontros com sobreviventes dos bombardeamentos de 1945.

As bombas atómicas lançadas em Hiroshima (6 de agosto) e em Nagasaki (9 de agosto) mataram mais de 220 mil pessoas, e provocaram a capitulação do Japão e o fim da segunda Guerra Mundial, em 15 de agosto de 1945.

Além dos sobreviventes das bombas atômicas, o Papa pretende também prestar homenagem às vítimas do desastre de março de 2011 na central nuclear de Fukushima. (CNN)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui