Prefeito de Salvador alerta para possibilidade de novo isolamento social na semana que vem

Foto : Jefferson Peixoto/Secom

O prefeito Bruno Reis (DEM) alertou hoje (12) para o início de uma segunda onda da pandemia do coronavírus em Salvador, supostamente por conta da circulação da nova cepa na Bahia. Por conta disso, afirmou que há a possibilidade de decretar novas medidas de isolamento social na capital na semana que vem.

“Não está descartada a possibilidade, se continuar os números como estão, de, na semana que vem, adotar medidas de isolamento social”, afirmou. Segundo ele, “efetivamente tem o risco real de estar circulando uma outra cepa na cidade, muito mais agressiva, a ponto de trazer grande preocupação”.

“O que mais nos preocupa são os números de novos casos diários, o fator Rt e a velocidade de aceleração”, disse. De acordo com ele, a situação está grave nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), que, até “ontem, na tela do estado, tinham 83 pacientes para ser regulados – dependendo de leitos”.

O prefeito anunciou que o estado começou a se organizar para reabrir o hospital de campanha na Arena Fonte Nova e serão abertos também novos gripários em Valéria e São Cristóvão “para ajudar a reduzir a pressão nas UPAs”. Até este domingo (14), também serão abertos mais 40 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) destinados à pacientes com Covid-19: 20 pela prefeitura e 20 pelo governo do estado. A ocupação de leitos da categoria está em 72% em Salvador.

“Queremos isso? Não. Vocês sabem, nunca quis isso. Já são praticamente 45 dias como prefeito e em nenhum momento adotamos medidas de restrições porque os números vinham estáveis e tínhamos capacidade de administrar. Mas a gente começa a perceber uma curva ascendente que esta crescendo de forma muito rápida”, concluiu.

O representante do município finalizou o comunicado pedindo a colaboração da população para controlar a transmissão do vírus. “Todos os índices e todos os dados que utilizamos para tomar as decisões estão em uma crescente acelerada fora da média. Preciso pedir a todos que respeitem os protocolos. Não há outro caminho para enfrentarmos a pandemia do coronavírus”, afirmou. (Metro1)