Salvador: Maior declaração de bens de candidatos a prefeito é de Celsinho Cotrim

-
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ bahia.ba

Assim como o seu companheiro de chapa Acelino Popó Freitas, que é o mais rico entre os candidatos a vice-prefeito em Salvador nas eleições de 2020, Celsinho Cotrim (PROS) é o mais bem-sucedido entre os postulantes ao Executivo Municipal, conforme aponta a lista de declaração de bens divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Cotrim encabeça a lista com a quantia de R$ 2.181.000,00 de patrimônio. 

O administrador, que já concorreu a uma cadeira na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), em 2006, foi suplente de vereador em 2012 e pleiteou uma vaga no Senado em 2018, declarou que seus bens estão distribuídos em uma casa financiada no KM 20, entre Abrantes e Arembepe, em Camaçari (R$ 1.450.000,00), um veículo Land Rover (R$ 161.000,00), um apartamento quitado na avenida Sete de Setembro, em Salvador (R$ 500.000,00) e um terreno em Açu da Torre, Mata de São João (R$ 70.000,00).

Em relação ao ano de 2018, quando concorreu ao Senado, Cotrim havia declarado R$ 285.195,79 em bens, sendo intens de maior valor detalhados em um apartamento (R$ 108.527,40), um veículo (R$ 124.600,00) e R$ 21.097,26 na caderneta de poupança. No entanto, nenhum dos itens presentes na lista teve descrição divulgada. No geral, em dois anos, o candidato obteve crescimento de R$ 1.895.804,21 em bens.

Na cola do líder
Na segunda colocação na disputa dos mais ricos, aparece a figura do vice-prefeito e candidato a sucessão de ACM Neto, Bruno Reis (DEM), que decalrou o montante de R$ 931.514,59, descritos em apenas três itens: R$ 614.618,55 na Previdência da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBAPREV), R$ 96,04 no Banco Bradesco e R$ 316.800,00 relacionados a Quotas ou quinhões de capital na BB Patrimonial LTDA.

Bruno não concorreu a nenhum cargo político em 2018. No entanto, comparando seu patrimônio com o ano de 2016, quando foi candidado a vice-prefeito, e eleito junto com ACM Neto, onde declarou ao TSE possuir R$ 719.288,92 em bens, ele obteve um aumento de R$ 212.225,67 em seu patirimônio.

Foto: Luiz Felipe Fernandez/bahia.ba
Foto: Luiz Felipe Fernandez/bahia.ba

Olívia Santana
Na terceira colocação da lista, a candidata do PCdoB, Olívia Santana, declarou possuir R$ 564.434,14 em bens, distribuídos em apartamentos, veículos e outros itens. Chama a atenção um apartamento localizado no  Condomínio Edifício Belle Vue, no Rio Vermelho, no valor de R$400.000,00. Outro imóvel situado na Federação foi declarado por R$ 125.000,00, além de outros itens que podem ser conferidos na lista completa do TSE.  Em 2018, Olívia declarou R$ 411.425,00, R$ 153.009,14 a menos que seu patrimônio em 2020. 

Foto: Ascom/Deputada Olívia Santana
Foto: Ascom/Deputada Olívia Santana

Major Denice
Estreante na disputa eleitoral, a Major Denice Santiago (PT) apresentou ao TSE R$ 525.193,60 em bens. O valor foi detalhado em dois apartamentos no Cabula, R$ 230.000,00 e R$ 170.000,00, aplicação de renda fixa em R$ 113.940,13, depósito bancário em conta corrente no país em R$ 9.304,48 e R$ 1.948,99 na caderneta de poupança. Por estar estreando na política, não há valores registrados no sistema do TSE para efeito de comparação.

Foto: Mila Cordeiro/Divulgação/Major Denice
Foto: Mila Cordeiro/Divulgação/Major Denice

Cezar Leite
O patrimônio do médico Cezar Leite (PRTB) foi declarado em R$ 504.332,77. Ele detalhou os valores em cotas das empresas Ferreia Leite Serviços de Saúde Ltda e Teledoctor Soluções em Telemedicina, com R$ 1.500,00 e R$ 24.440,00, respectivamente.

Além de possuir R$ 15.447,18 de saldo em conta corrente no Banco do Brasil, Carta de Crédito Consórcio de Imóveis da Porto Seguro (R$289.108,59) e ações nas empresas PINE-4 e HBOR3 na Corretora Rico (R$111.965,00) e PINE$ e VIVR3 na empresa Agoa (R$61.872,00). 

Em 2018, Leite se candidatou a deputado federal e havia delcarado seus bens em R$ 867.073,36. Ou seja, R$ 362.740,59 a menos que o que consta na declaração deste ano.

Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook

Bacelar
O deputado federal João Carlos Bacelar declarou ao TSE que seu patrimônio está avaliado em R$ 427.797,94. Entre os itens descritos, se destacam R$ 180.000,00 em espécie, um apartamento no Alto do Itaigara, Salvador, (R$ 177.080,00) e um consórcio no Itáu de Imoveis (R$ 58.471,66). Em 2018, Bacelar havia decalrado R$ 413.246,77 em bens quando se candidatou e foi eleito deputado federal. Em dois anos, seu patrimônio aumentou em R$ 14.551,17. 

Foto: Estela Marques / Bahia.ba
Foto: Estela Marques / Bahia.ba

Isidório
O Pastor Sargento Isidório declarou um patrimônio de R$ 258.000,10, distribuídos em três veículos: S10 (R$ 40.000,00), FIAT Uno (R$ 17.000,00) e Topic (R$ 38.500,00), além de R$ 52.500,00 em espécie e uma casa avaliada em R$ 110.000,00 em Menino Jesus.

Quando concorreu para deputado federal em 2018, Isidório declarou todos os seus bens em R$ 400.852,64. Em comparação com a disputa deste ano, o pastor possui R$ 142.852,54 a menos que a eleição anterior.

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Hilton Coelho
O candidato com a declaração de bens mais baixa entre os concorrentes ao pleto é Hilton Coelho (PSOL), que declarou ao TSE possuir apenas R$ 127.287,80, provenientes de uma casa no valor de R$ 37.500,00, em Itacaranha, um apartamento no valor de R$ 78.987,80, em Stela Maris, e um veículo FOX, no valor de R$10.800,00. O deputado estadual declarou em 2018 que possuía R$ 103.000,00 em bens, com o mesmo carro e apartamento em Stela Maris. Em dois anos, seu patrimônio aumentou em R$ 24.287,8o. (Bahia.Ba)

Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ bahia.ba
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ bahia.ba