Sobre a vinda do Atakarejo em SAJ, Picopel assinala: “quem decide é Genival e não Dr. Leonel Reis, se ele quiser administrar a cidade tem que concorrer a um cargo eletivo”

Empresário de Santo Antônio de Jesus, Picopel Pimenta / Imagem: Voz da Bahia

Em entrevista ao programa Meio-Dia e Meia na Live do Voz Bahia desta segunda-feira (05), o empresário Newton Pimenta, popular Picopel falou sobre a polêmica que envolve a vinda do Atakadão Atakarejo para Santo Antônio de Jesus.

SE O ATAKAREJO NÃO VIER PARA SAJ?

Picopel assume que se o Atakarejo não vier para Santo Antônio de Jesus a cidade só tem a perder, “este empreendimento se for liberado dentro daquele espaço, já vai abrir 20 vagas para os táxis que estão na Praça do Rango, vai dá o espaço coberto com sanitário, lanchonete, com a visibilidade para aquela Praça, tudo feito em vidro e esse lugar do rango passa a ser da prefeitura que pode mandar raspar tudo ali e eu vou fazer uma proposta para o dono do Atakarejo, para comprar o posto, então nós vamos fazer aquela magnífica Praça, das Americanas até a curva da prefeitura. Vamos fazer um trevo, perpetrar tudo ali para carga, descarga e saída”, opina.

“PREFEITO SERÁ COBRADO”:

Picopel confessa que se o Atakarejo não conseguir ser instalado em Santo Antônio de Jesus, o prefeito futuramente será muito cobrado por isso, “eu não votei em Dr. Leonel Reis, ele é meu amigo, foi ele que fez todas as instalações do meu empreendimento, um profissional muito bom, mas não pode decidir sobre o futuro da minha terra, aí eu sou egocentrista, não sou nem egoísta, para mim a decisão quem tem que tomar é o prefeito Genival”, expõe.

DOAÇÃO DO TERRENO:

Pimenta denomina infeliz a atitude do empresário Benedito de Souza Lemos Filho, popular Ditinho em doar 10 mil m² de um terreno para instalação do empreendimento, “Ditinho não foi feliz por que, por exemplo, se eu quiser e implementar uma central de comunicação em Santo Antônio de Jesus e quiser Marcus Augusto trabalhando comigo, eu vou a Marcos Augusto, então Ditinho é um grande empresário, talvez um dos mais influentes de Santo Antônio de Jesus, ele poderia pegar o secretário dele, entrar em contato direto com Teobaldo Costa proprietário do empreendimento, eles dois marcarem um encontro e dizer: ‘estou aqui desejando sua ida para o município, estou aqui dando esse presente de 10 mil m² dessa área para você Teobaldo’, por certo Teobaldo perguntaria: ‘você vai me dá essa área com serviços de terraplenagem?’ Porque você passando por ali rapidamente vai precisar de 10 mil caçambas de cascalho para poder botar o presente que ele deu no nível da estrada. Eu não colocaria minha empresa ali”, descreve.

O PROGRESSO:

O empresário ainda ao Voz da Bahia manifesta que em conversa com o prefeito de Genival Deolino (PSDB), o mesmo revelou que as pessoas que moram próximo ao terreno onde seria instalado o Atakarejo estavam apreensivas devido ao barulho que seria ocasionado pela carga e descarga do comércio, “diz para eles venderem suas casas e comprarem em terrenos no condomínio, quem quer morar bem, vai morar no Condomínio, Santo Antônio de Jesus está aberto onde tem milhares de condomínios em Santo Antônio de Jesus, agora que você não pode é travar a cidade, porque dona Maria que mora no fundo vai ficar incomodada com a zoada? Não pode, não tem sentido, onde não há barulho nesta cidade? Vai na Rua da Linha para ver. O progresso quando chega, abraça todo mundo e todos podem ser beneficiados com o emprego de um parente nesse local”, explica.

O CONCIDADE:

A propósito do ConCidade (Conselho da Cidade), Picopel assegura que é preciso que o conselho seja opinativo e não determinante, “quem decide é o prefeito e nós votamos nele, gastamos os nossos sapatos, suamos a nossa camisa, botamos o nosso pescoço na forca para eleger Genival e não Dr. Leonel Reis. Quando você precisar de uma luminária para sua casa, fazer uma revisão na instalação do seu prédio, ele é o melhor engenheiro eletricista que tem em Santo Antônio de Jesus, agora para administrar a cidade, ele tem que concorrer a um cargo eletivo, para depois de eleito dizer se o Atakarejo entra ou não entra, quem manda é a política e o Atakarejo segundo soube fatura R$ 18 bilhões por ano, financia a candidatura de Governador, Senador, de quase todos os Deputados, então, se esse empreendimento chegar e se instalar em nossa cidade, todo mundo vem para cá, e a política vai sair ganhado também”, propõe.

ASSISTA A MATÉRIA COMPLETA ABAIXO:

Reportagem: Voz da Bahia