Tierry e Simone se unem a outros artistas e doam cilindros de oxigênio a pacientes vítimas da Covid-19 no Amazonas

Foto: Reprodução

Os cantores baianos Tierry e Simone, que faz dupla com a irmã Simaria, se uniram à campanha de outros artistas e influenciadores para doar cilindros de oxigênio aos hospitais no Amazonas, que está com o sistema de saúde em colapso com o aumento de casos de pacientes internados com a Covid-19.

Os músicos fizeram coro ao movimento iniciado pelo humorista Whindersson Nunes, que convocou a classe artística para aderir à campanha e retribuir ao público, de algum modo, a atenção que recebem.

Tierry revelou que providenciou a doação de 10 cilindros, assim como a cantora Simone. Segundo ele, como formadores de opinião, são os artistas que precisam ajudar e fazer parte desse tipo de trabalho que cabe aos governantes.

“É uma situação realmente bastante complicada. Desde cedo já estava fazendo campanha no Twitter e no Instagram, e quando vi que o [humorista] Whindersson [Nunes] iria mandar cilindros, logo entrei em contato com ele e Tirulipa. Me prontifiquei a mandar também, 10 cilindros de 50 litros, assim como Tatá Werneck e Simone também”, declarou.

Simone e Simaria, inclusive, utilizaram a conta da dupla no Instagram para divulgar os dados do projeto “SOS AM”, que está coletando as doações para reverter em cilindros de oxigênio para as pessoas internadas.

“Falar de Manaus mexe muito com a gente porque são pessoas maravilhosas, hospitaleiras, que sempre nos acolheram com tanto carinho. É uma população batalhadora, recebe as pessoas com sorriso no rosto e não perde essa alegria nem com as dificuldades. Não podemos aceitar este cenário sem fazer nada, com tantas famílias sofrendo. Essas Vidas precisam de atenção! Todos merecem o direito de lutar pela vida, com os recursos apropriados. É um direito, gente! Como deixar que isso aconteça? Estamos aqui, nos unindo a eles e ajudando para somar a essa corrente”, diz um trecho da publicação.

Sem oxigênio nas unidades e com a média móvel de pacientes em alta de 183% nos últimos sete dias, os hospitais de Manaus estão superlotados. Alguns pacientes estão sendo transferidos para outros estados e já não há vagas nos cemitérios da capital amazonense. (G1)