Vídeo mostra fotógrafo fora do grupo prioritário tomando suposta vacina contra a Covid-19; ‘Brincadeira’, diz ele

Fotógrafo de Jupi tomando susposta vacina contra a Covid-19 — Foto: TV Asa Branca/Reprodução

Um vídeo que foi postado nas redes sociais nesta terça-feira (19) mostra o fotógrafo da Prefeitura de Jupi, no Agreste de Pernambuco, supostamente tomando uma dose da vacina contra a Covid-19. Nas imagens, o profissional, que não integra o grupo prioritário, diz que iria “aproveitar o embalo” para se vacinar também. “Aquilo é água. Eu não tomei vacina não. […] Foi alguém lá na hora gravando e fez essa brincadeira”, respondeu o fotógrafo ao ser questionado pela produção da TV Asa Branca.

Em seguida, também no vídeo, o profissional, conhecido como Guilherme JG, mostra o cartão entregue pela Secretaria de Saúde para quem já tomou o imunizante. Até o momento desta publicação, a Prefeitura de Jupi não se posicionou sobre o caso. O município de Jupi recebeu 136 doses da vacina contra a Covid-19 para aplicar em duas etapas nos 69 profissionais de saúde.

Por meio de nota, o Governo de Pernambuco informou que os municípios são responsáveis pela vacinação, mas estão cientes de que nesta primeira etapa ela deve ser só para trabalhadores da Saúde atuantes em UTIs e enfermarias de atendimento à Covid, além dos vacinadores, idosos em instituições de longas permanência, pessoas com deficiência institucionalizadas e indígenas aldeados.

Também através de nota, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) informou que abriu um procedimento para identificar se houve algum crime na conduta dos envolvidos. A 1ª instância do Ministério Público Federal (MPF) em Pernambuco informou que “ainda não teve conhecimento desses fatos e, portanto, não há no momento alguma apuração sobre o assunto em trâmite no órgão”.

O prefeito de Jupi, Marcos Patriota, disse que afastou de imediato o servidor público assim que soube do ocorrido. “Eu fiz uma viagem política para a capital pernambucana, e ao chegar lá, me deparei com algumas notícias sobre um possível servidor público que tinha tomado essa dose. Ao chegar no município, imediatamente, com a procuradoria e o controle interno afastamos a pessoa”, afirmou. (G1)