Com foco no turismo, ACM Neto apresenta terceira parte de medidas para auxiliar retomada das atividades em Salvador

-
Prefeito ACM Neto em entrevista coletiva nesta terça-feira (4). — Foto: Reprodução/Redes Sociais

O prefeito ACM Neto apresentou nesta terça-feira (4) a terceira parte do plano de retomada das atividades comerciais em Salvador. Nesta etapa, o prefeito detalhou campanhas e projetos para movimentação do turismo, que é a principal atividade econômica da capital.

A primeira parte do plano de retomada foi divulgada no dia 21 de julho, com soluções urbanas para repensar a cidade. A segunda etapa foi voltada para melhorias no ambiente de negócios de Salvador, apresentadas em 27 de julho.

Entre as principais medidas está o Centro de Recuperação do Turismo (CRT), que foi inaugurado nesta terça. O CRT vai oferecer, principalmente, consultoria técnica e financeira para empresas e empreendedores autônomos.

Além disso, o CRT também vai oferecer serviços de informações sobre linhas de crédito com bancos públicos e privados; regularização fiscal e de lideranças de funcionamento com Sedur e Sefaz; treinamento e capacitação digitais, espaço de coworking turístico e apoio do Sebrae e Senac.

O prefeito também falou sobre o projeto de lei que propõe a criação de uma agencia municipal de fomento para negócios no turismo. Outra ação anunciada pelo prefeito ACM Neto é a capacitação de sete mil profissionais do setor turístico, que iniciará no mês de setembro.

“Não é só para qualificar a mão de obra com os padrões tradicionais, mas também para qualificar as pessoas para os novos desafios dessa nova realidade. Afinal de contas, pelo menos por um tempo, até o momento que tenhamos a vacina e a segurança da imunidade, vamos precisar repensar a forma de viver Salvador. Esse verão vai ser diferente de todos os outros, vai ser um verão onde o carro chefe, o atrativo principal não serão os grandes eventos, não serão os festivais, as lavagens, ou mesmo não será o carnaval”, destacou o prefeito.

O prefeito falou também que a gestão já trabalha na realização da Pesquisa de Demanda Turística em Salvador, que será realizada com 1.600 pessoas para entender quais são as demandas dos turistas, tanto da Bahia, de outros estados brasileiros e de outros países.

“É importante destacar que, até quando tenhamos a vacina que garanta a imunização coletiva, o foco de atração turística precisa estar adequado a essa realidade. No primeiro momento, vamos focar no turismo nacional e de mais curta distância, no turismo doméstico, um turismo voltado para famílias e que ofereça ambientes com atrações e alternativas que ocorram ao ar livre, que interaja com a natureza e valorize a cultura, e tudo isso temos para oferecer. Só depois é que vamos nos preparar para a expansão do turismo internacional”, avaliou o prefeito ACM Neto.

No geral, as ações terão investimento cerca de R$ 20 milhões para recuperar o turismo na cidade. O G1 detalhou todas as ações apresentadas pelo prefeito ACM Neto abaixo. Confira:

  • Campanha Visite Depois;
    Criada como um apelo para que os turistas mantenham Salvador como um destino turístico no futuro.
  • Campanha Salvador Pede em Casa;
    Criada para manter o turismo culinário, forma de restaurantes e bares intensificarem o trabalho de delivery (entrega em casa) ou take away (pague e leve).
  • Campanha Uma Saudade Chamada Salvador;
    Lançada logo após a Visite Depois, foi criada para manter a Salvador presente no imaginário das pessoas e despertar o interesse pelo turismo quando a pandemia passar.
  • Melhoria da comunicação digital;
    Intensificação do trabalho nos portais e páginas, como por exemplo a criação de playlists que acompanhem o conteúdo, artigos e roteiros, tour virtual em museus, exposições de livros e outras obras culturais relacionadas à cidade.
  • Capacitação de mais de 7 mil profissionais do setor do turismo;
    Qualificação de mão de obra ara adequar autônomos, funcionários e empresas para as novas formas de turismo, com os efeitos da pandemia.
  • Pesquisa de demanda turística em Salvador;
    1.600 pessoas serão entrevistadas para a prefeitura entender as demandas relacionadas ao turismo doméstico e de curta distância, antes de trabalhar a expansão do turismo internacional.
  • Centro de Recuperação do Turismo;
    Serviços de consultoria técnica e financeira; informações sobre linhas de crédito com bancos públicos e privados; regularização fiscal e de lideranças de funcionamento com Sedur e Sefaz; treinamento e capacitação digitiais, espaço de coworking turístico e apoio do Sebrae e Senac.
  • Programa de certificação sanitária e de saúde com selo Verificado;
    Implementação do selo vai certificar todos os estabelecimentos que seguirem os protocolos rígidos de medidas sanitária, como forma de oferecer a certeza da segurança para baianos e turistas.
  • Aderência ao selo Safe Travels;
    Selo internacional de segurança também certificará os estabelecimentos que estiverem cumprindo os padrões protocolos e medidas sanitárias.
  • Projeto de lei propondo a criação da Agência Municipal de Fomento para Negócios no Turismo;
    Agência vai reunir os principais investidores do setor turístico para Salvador, para firmar parcerias nacionais e internacionais para expandir numero de turistas na cidade.
  • Criação de Market place;
    Espaço virtual de mercado para que empresas, guias de turismo, hotéis tenham um local de venda dos produtos e serviços, que serão disponibilizados na internet para o mundo inteiro.
  • Campanha Protocolos;
    Criada para reforçar a sensação de segurança dos espaços turísticos.
  • Campanha Salvador para Soteropolitanos;
    Voltada para priorizar a proximidade entre soteropolitanos, para estimular o turismo interno com foco na área cultural.
  • Campanha Reencontros;
    Criada para aproximar moradores de Salvador a familiares e amigos de outras cidades, para que possam ter essa nova experiência de reaproximação na capital baiana.
  • Webinar Capacitação;
    Seminário via web, com ampla transmissão em varias plataformas digitais, para oferecer capacitação e treinamento de profissionais do setor turístico.
  • Certificações de Bandeira Azul;
    Emissão de novos certificados para praias da capital, que ainda não têm previsão de reabertura.
  • Adaptação do setor de turismo às mudanças climáticas;
    Avaliação de impactos econômicos e das mudanças climáticas no setor, para prever adaptações e a aplicação de uma Política Municipal de Mudanças Climáticas. (G1/Ba)