Comandante no 16º GBM de S. A. de Jesus fala sobre bombeiro preso em Nazaré

O novo comandante do 16º Grupamento de Bombeiros Militares da cidade de Santo Antônio de Jesus, o tenente-coronel Ênio Alcântara, falou nesta quarta-feira (16) sobre sua chegada ao município e as ações que serão tomadas durante seu comando, “eu fui muito bem recebido, estou a disposição para informar sobre as ocorrências da cidade e região. Eu estava comandante Bom Jesus da Lapa, fui transferido para comandar Santo Antônio de Jesus, vou comandar 132 homens dentro da área de atuação de 33 cidades. Nossas sedes estão locadas em Valença e na Ilha de Itaparica. Em breve tivemos em Cruz das Almas”, falou.

Diversos trotes são registrados para os órgãos de segurança pública e assistência médica em todo a Bahia. O comandante falou durante a entrevista, que a população conscientizem seus filhos para que não cometam tal ato, “recebemos muitos trotes, isso é uma luta diária para evitar esse tipo de ação. Pedimos fiscalização dos pais para que conscientizem seus filhos e evitar esse tipo de procedimento, que pode ocasionar a perda de vidas uma vez que nós deslocamos para atender um trote ao invés de irmos atender uma ocorrência real”, disse.

O militar falou também sobre o crime de soltar balões, muito frequentes durante o período junino, “isso é uma coisa importante para se falar, no São João as pessoas gostam de soltar balões, porém ele representa um grande risco para as vidas, uma vez que temos uma vasta região de mata na região, além de residências. Um balão caindo em uma casa pode ocasionar incêndio e risco as vidas que moram no local”, falou.

O tenente-coronel falou também sobre o bombeiro preso nesta última terça-feira (15), em Nazaré (veja aqui) por furar uma abordagem policial, embriaguez e desacatar os agentes que registraram a ocorrência, além de tentar dar uma “carteirada” nos policiais afirmando que seu pai conhece o senador Jaques Wagner, “temos o comando geral do corpo de bombeiros que fala por toda a corporação, mas baseada na nota divulgada pelo comando, afirmaram que o mesmo faz uso de remédios controlados, tem uma assistência psiquiatra. Não que justifique uma agressão, mas foi visto que ele não estava em seu estado normal, ele está preso”, declarou na Andaiá.

Redação: Voz da Bahia