CoronaVac é mais efetiva em reduzir mortalidade que Pfizer, aponta estudo preliminar no Uruguai

Foto : Divulgação

Resultados preliminares de um estudo realizado com a população do Uruguai indica que a vacina CoronaVac reduz em 97% a mortalidade pela Covid-19, contra 80% do imunizante da Pfizer em parceria com a BioNTech. As duas vacinas também são utilizadas na campanha de vacinação do Brasil.

“A redução da mortalidade pela Covid-19, decorridos mais de 14 dias após a segunda dose da vacina, é de 97% para CoronaVac e 80% para Pfizer, aponta o Estudo de Efetividade da Vacinação contra Sars-CoV-2 no Uruguai em 2021′, realizado pelo Ministério da Saúde Pública do país.

De acordo com o relatório, do total de 712.716 pessoas totalmente imunizadas com a CoronaVac no país até 25 de maio, 360 testaram positivo para o novo coronavírus. Destas, 19 precisaram de internação em UTI e seis faleceram.

Do total de 149.329 pessoas totalmente imunizadas com a vacina da Pfizer/BioNTech até a mesma data, 691 foram infectadas, apenas uma necessitou de hospitalização na UTI e oito morreram. O relatório esclarece que, neste caso, todos tinham mais de 80 anos.

O estudo indica que a redução de casos totais com a CoronaVac é de 57% e com a Pfizer/BioNTech é de 75%. Em relação a hospitalizações em unidades de terapia intensiva, a efetividade foi de 95% para a CoronaVac e 99% para a Pfizer/BioNTech.

O levantamento ainda apresenta números preliminares. O Ministério da Saúde diz que os resultados “devem ser interpretados com cautela, pois não levam em consideração a idade das pessoas, suas comorbidades e grupos de alta exposição”. (A Tarde)