Cresce nº de remédios com estoque zerado na Bahia por atraso do Ministério da Saúde

Remédios (Foto Reprodução Wikipedia

Aumentou para 22 o número de medicamentos com estoque zerado ou em iminência de falta para pacientes da Bahia por falta de distribuição do Ministério da Saúde. Há um mês, pacientes baianos com HIV/Aids, meningite e anemia falciforme estavam com seus respectivos tratamentos ameaçados e alguns já prejudicados por falta de estoque de alguns medicamentos no estado. Na época eram 18 os fármacos nesta situação.

Nesta terça-feira (24), de acordo com a Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab), a falta de medicamentos atinge pacientes com câncer, HIV/Aids, diabetes, anemia falciforme, acromegalia, Alzheimer, amiloidose, artrite reumatoide, espondilite, crohn, psoríase, epilepsia, escleroses, esfingolipidoses, esquizofrenia, fibrose cística, mucopolissacaridose do tipo II, Parkinson e trombose venosa.

A pasta estadual destaca que a maioria dos medicamentos não possui substituto, nem solução de abastecimento imediata, caso o Ministério da Saúde não regularize o fornecimento.

A Sesab também sinalizou que 14 medicamentos estão com fornecimento irregular, com estoque inferior a 60 dias. São fármacos para tratamento de artrite reumatoide, espondilite, crohn, psoríase, doença renal, esclerose múltipla, esquizofrenia, fibrose cística, mucopolissacaridose do tipo VI, psoríase.