Délcio aponta que a determinação da vinda do Atakarejo é do prefeito e não do ConCidade: “Genival foi eleito para tomar decisões e não terceirizá-las”

Vereador Délcio Mascarenhas / Foto: Voz da Bahia

Na segunda-feira (29), o vereador de Santo Antônio de Jesus, Délcio Mascarenhas de Almeida Filho (PSB) esteve no programa Meio-Dia e Meia na Live do Voz da Bahia e falou sobre a polêmica envolvendo o supermercado Atakarejo. Segundo o vereador, o município não pode perder um empreendimento dessa magnitude, “a prefeitura não pode deixar de medir esforços para a implantação de uma empresa grande para Santo Antônio de Jesus”, descreve.

Ainda sobre a polêmica do Atakarejo, Délcio aponta que o gestor deve ter autonomia sobre o ConCidade (Conselho das Cidades), órgão que definiu a não vinda do supermercado por problemas técnicos, “ele não pode terceirizar as decisões do município, o prefeito Genival precisa entender perfeitamente que a população elegeu ele como prefeito da cidade para lhe dar poder de deliberações importantes e isso é preocupante quando se terceiriza, quando passa as decisões para A,B e C. O ConCidade é apenas um conselho, ele veio depois do advento da lei 10257/2001, o Ministério das Cidades naquela época criou o estatuto da cidade onde é a lei federal, que foi criada pelo Governo Federal, tem entre o regulamento da cidades as atribuições para que os municípios possam criar o conselho. Os municípios com mais de 50 mil habitantes podem criar o ConCidade e é um conselho consultivo, que inclusive a atribuição dele não é apenas para emitir parecer na implantação de empreendimentos, tem uma série de competências inclusive, nesse próprio conselho, uma dessas atribuições é emitir parecer de aprovação das contas da Secretaria de Infraestrutura de Santo Antônio de Jesus, então, vou lhe dar só um exemplo prático, se o Conselho fosse deliberativo ele podia emitir um parecer pela rejeição das contas ou aprovações das contas da secretaria do município e naturalmente não precisaria passar pelo Tribunal de Contas dos Municípios, nem passar pelo poder legislativo municipal de Santo Antônio de Jesus, é a demonstração do equívoco de algumas pessoas que andam pregando que esse conselho tem o poder de impedir a implantação de qualquer empreendimento no município de Santo Antônio de Jesus,  isso é uma verdadeira aberração, isso não é verdade, ConCidade é um conselho consultivo”, ilustra.

Délcio ainda relata ao Voz da Bahia que o motivo dado pelo ConCidade de inviabilizar o tráfego no Centro não prospera, “eles podem buscar alternativa de inviabilizar o trânsito naquela localidade e eu acho que esse é o papel do poder público municipal e o conselho não pode impedir o crescimento e desenvolvimento do município. Não podemos perder esses empregos aqui em Santo Antônio de Jesus. Queria conversar com prefeito Genival Deolino (PSDB) e pedir que ele tenha sensibilidade e não venha terceirizar essas decisões. Essa determinação é dele, ele foi eleito pela população de Santo Antônio de Jesus para tomar deliberações, para representar o povo, ele está legitimado pela população de Santo Antônio de Jesus”, confessa.

O empresário Benedito de Souza Lemos Filho, popular Ditinho, confirmou a doação de um terreno de 10 mil metros quadrados que fica localizado nas proximidades do Clube dos 1000, na BA-046 em Santo Antônio de Jesus (reveja aqui). Sobre isso, o vereador Délcio parabeniza a atitude do empresário e afirma que necessita ser feito o esboço de viabilidade, ” deve haver um estudo de viabilidade técnica e econômica e se naturalmente a empresa pretende fazer esse empreendimento no município de Santo Antônio de Jesus e entende que aquela área é importante, ela pode ser deslocada para aquela localidade, mas isso depende de todo estudo técnico. A gente precisa chamar o prefeito, a Câmara de Vereadores, a sociedade civil organizada, vamos nos debruçar neste assunto, discutir. Isso de uma forma imparcial com todos os seguimentos da sociedade de Santo Antônio de Jesus e aí no final o prefeito deve tomar decisão, porque mesmo com a opinião da Câmara, do conselho, do movimento da sociedade civil organizada, a decisão final está nas mãos do gestor por que ele que está legitimado para representar o município de Santo Antônio de Jesus”, desabafa.

O vereador ainda revela que conversou com Teobaldo Costa presidente da rede Atakarejo, “ele me informou que está pronto para vir para Santo Antônio de Jesus. O investimento é na ordem de R$ 40 milhões de reais, nós iremos gerar de início aproximadamente 500 empregos diretos mais de mil empregos indiretos, estou recebendo ligações quase que diárias de vários prefeitos das grandes cidades do Estado da Bahia. Teobaldo ainda assegura que já está com empreendimentos em Alagoinhas, Feira de Santana Salvador, ele me falou: estou implantando duas lojas em Alagoinhas e a minha vontade é dá esse presente, mas a cidade impediu, então, naturalmente eu vou buscar outros municípios para aceitar nossa empresa e quem vai perder é Santo Antônio de Jesus. Trazer o Atakarejo é aquecer a economia do município, não podemos deixar a cidade para o final da fila”, expõe.

Reportagem: Voz da Bahia