Filho de Bolsonaro quer fim da reserva de vegetação nativa em fazendas

1
142
-Foto : Wilson Dias/ Agência Brasil
Foto : Wilson Dias/ Agência Brasil

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) protocolou um projeto de lei para tentar retirar do Código Florestal o capítulo que trata da reserva legal obrigatória em propriedades rurais. A justificativa é acabar com o que chama de “entrave” e “expandir a produção agropecuária, gerar empregos e contribuir para o crescimento do país”. Se aprovada, medida extinguirá a obrigatoriedade de ruralistas preservarem parte da vegetação nativa de suas áreas. O projeto também é assinado pelo senador Marcio Bittar (MDB-AC). Eles tentam revogar o quarto capítulo do Código Florestal, chamado de “Da área de reserva legal”. Atualmente, propriedades rurais na Amazônia Legal têm de reserva legal de 80%; no Cerrado, 35%; e em campos gerais e outras regiões do país, 20%. Os dois senadores monetizam os recursos naturais da Amazônia, afirmando que o bioma “possuiu em valores de recursos naturais o montante de 23 trilhões de dólares a ser explorado, sendo 15 trilhões em recursos minerais metálicos, não metálicos e energéticos e oito trilhões na superfície, com a biodiversidade”. Por conta dos supostos benefícios econômicos, em detrimento da preservação ambiental, eles supõem que “é urgente a conciliação profunda e permanente entre proteção do meio ambiente, crescimento econômico e geração de oportunidades para os brasileiros”. (Metro1)

1 COMENTÁRIO

  1. RETROCESSO AMBIENTAL… MEU CARO SENADOR, NÃO PRECISA DESMATAR PARA AVANÇAR, O QUE VOCÊS FAMILIA BOLSONARO QUEREM É ACABAR COM A AGUA, COM OS ALIMENTOS E COM O DIREITO DAS FUTURAS GERAÇÕES… NÃO VENHA COM ESSA DESCULPA, QUE RESERVA LEGAL ATRAPALHA O DESENVOLVIMENTO, PORQUE QUE VOCÊS NÃO VALORIZA MAIS O QUE É PRODUZIDO NAS PROPRIEDADES RURAIS, OS PRODUTORES RURAIS PRECISA É DE RECURSOS FINANCEIROS E QUE SUA PRODUÇÃO TEM MAIS VALOR.. ISSO SIM SENADOR… DEIXA DE SER POLEMICO…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui