Leão nega racha na base após Rui chamar de “traíras” deputados que votaram com Bolsonaro

Foto: Divulgação

O vice-governador João Leão descartou nesta sexta-feira (5) a possibilidade de crise na base aliada ante a insatisfação do governador Rui Costa (PT) com deputados que chamou de “traíras” por votarem a favor da PEC dos Precatórios.

“Ele [Rui Costa) falou o que não devia. Ele tem e sempre teve uma bancada coesa nesses sete anos. Só falta um ano para o nosso governo terminar, e não é no final que a gente vai brigar”, disse Leão ao Metro1.

Cacá Leão (filho do vice-governador) e Mário Negromonte Jr., ambos do PP, e Otto Alencar Filho, do PSD, estão entre os 24 parlamentares baianos que disseram “sim” à proposta que libera R$ 90 bilhões para o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) gastar em ano eleitoral e que, segundo Rui Costa, fará a Bahia perder cerca de R$ 10 bilhões em recursos do Fundef.

De acordo com o vice-governador e presidente da executiva estadual progressista, embora a insatisfação do petista seja compreensível, é preciso “baixar a temperatura”. “Jesus Cristo já disse que não há nada melhor do que o perdão”, declarou João Leão.

Em uma publicação no Twitter, Cacá Leão reagiu à fala de Rui Costa, associando-a ao “coronelismo”. Segundo o deputado, o parcelamento do Fundef foi uma conquista da bancada coordenada pelo senador Otto Alencar (PSD) e avalizada anteriormente pelo próprio chefe do Executivo.

O parc dos recursos do Fundef em 3 parc foi uma conquista da bancada coordenada pelo Sen Otto e avalizada pelo gov. O tempo do chicote e do coronelismo já acabou na Bahia faz tempo e não será reeditado por ninguém. Somos aliados fiéis, mas não somos capachos e exigimos respeito. (Metro1)