Netflix pode cortar cenas de estupro com Klara Castanho em série

A segunda temporada de “Bom Dia, Verônica”, ainda sem data de estreia definida, terá Klara Castanho no papel de uma jovem que é estuprada pelo pai, um líder religioso interpretado por Reynaldo Gianecchini. A atriz gravou a série no início de setembro, antes de ter sido vítima do crime que publicou sobre no último sábado (25).

O religioso é o vilão da série: ele abusa da mulher, Gisele (Camila Márdila), e da filha, sem levantar suspeitas em sua comunidade.

Segundo o site Notícias da TV, a Netflix passará a ter ainda mais cuidado na edição das cenas que envolvam a personagem, e na divulgação da trama. Klara, no entanto, não gravou nenhuma cena explícita de estupro. As sequências são todas sugeridas.

A primeira temporada de “Bom Dia, Verônica” foi elogiada pela crítica e ficou no top 10 da Netflix durante semanas após seu lançamento. A série teve oito episódios iniciais, em que a escrivã vivida por Tainá Muller ajudou na investigação de dois casos.

Um deles foi o de um psicopata interpretado por Sacha Bali que aplicava golpes virtuais. Depois, o do serial killer Cláudio (Eduardo Moscovis) que transformou a mulher, Janete (Camila Morgado), em uma prisioneira no próprio lar. As duas histórias terminaram com as vítimas mortas em situações trágicas.