Passou o carro: Bahia faz 7×1 no Campinense e avança na Copa do Brasil

Goleada no Amigão garantiu o Bahia na segunda fase da Copa do Brasil (Foto: Rafael Machado/EC Bahia)

O que parecia ser uma noite de sustos, terminou bem tranquila para o Bahia. Na terça-feira (9), o Esquadrão até saiu atrás no placar, mas bateu o Campinense por 7×1, no estádio Amigão, em Campina Grande, e se garantiu na segunda fase da Copa do Brasil. 

O time paraibano abriu o placar com Cadu, mas Rossi, três vezes, Juninho Capixaba, duas, Gilberto e o zagueiro Júnior Gaúcho, contra, anotaram os gols da virada e triunfo tricolor. 

Além da vaga, o Bahia embolsou ainda uma cota de R$ 1,35 milhão pela classificação. Na próxima fase, o time baiano vai enfrentar o vencedor de Jaraguá-GO e Manaus, que se enfrentam na quinta-feira (18). 

NOITE DE ROSSI
Apostando na qualidade técnica, Dado montou o Bahia com apenas um volante. Patrick teve as companhias de Daniel e Rodriguinho no meio-campo. Pouco ameaçado, o Bahia controlava bem o jogo, mas pecava no último terço do campo. Aí veio o susto. Aos 17 minutos, a defesa tricolor dormiu e Cadu aproveitou a bola desviada para bater forte e abrir o placar para o time paraibano. 

O gol deu uma acordada no Bahia. Um minuto depois Gabriel Novaes recebeu passe açucarado, mas o goleiro Rubens Júnior salvou. O tricolor continuou pressionando a raposa no campo de defesa. Deu certo. 

Aos 23 minutos, Daniel descolou belo lançamento para Rossi. Livre, o atacante matou no peito e mandou um bonito voleio para empatar o duelo. Embalado, a virada tricolor veio três minutos depois. 

Na jogada individual, Gabriel Novaes passou pela marcação e cruzou rasteiro para Rossi. Livre, o camisa 7 empurrou para as redes e anotou o segundo dele e do Bahia no jogo.

O Campinense sentiu o momento do Bahia. Gilberto foi derrubado na área e o juiz marcou pênalti. O próprio centroavante foi para a cobrança, mas parou no goleiro e perdeu a chance de deixar o Esquadrão em situação mais confortável. 

O Esquadrão passou ainda por uma situação incomum. Douglas pegou com as mãos a bola recuada por Daniel. O árbitro marcou o tiro livre indireto dentro da área. A cobrança do Campinense explodiu na barreira.

No agitado primeiro tempo, ainda deu tempo do Bahia marcar o terceiro. Aos 44 minutos, Gilberto chutou forte, o zagueiro Kemerson tentou cortar e mandou contra o próprio patrimônio. 

VIROU PASSEIO
Bahia voltou para o segundo tempo com a mesma pegada que terminou a primeira etapa. Com apenas três minutos, o Esquadrão encaixou rápido contra-ataque e Gilberto tirou do goleiro para deixar Rossi em condições de anotar o terceiro dele e o quarto do tricolor no jogo. 

Em situação bem tranquila, Dado Cavalcanti aproveitou para rodar o elenco. Ele colocou Juninho Capixaba na vaga de Matheus Bahia. O lateral entrou em campo com estrela. Aos 13 minutos, Rossi cruzou, Capixaba chegou batendo de primeira e conseguiu encobrir o goleiro Rubens Júnior: Bahia 5×1.

Após o quinto gol o Bahia tirou o pé do freio e passou a administrar o resultado. O Campinense até tentou assustar em chutas de fora da área que Douglas fez a defesa. 

Quando o Esquadrão decidiu apertar, construiu mais um gol. Aos 36 minutos Juninho Capixaba passou pela marcação e dentro da área cruzou para Gilberto. No segundo pau, o atacante escorou para as redes e anotou o sexto do tricolor.

A partida parecia liquidada, mas ainda deu tempo para Juninho Capixaba, aos 45 minutos, chutar de perna direita para fazer 7×1 para o Esquadrão e fechar o massa baiano na Paraíba.  

FICHA TÉCNICA
Campinense 1×7 Bahia
Copa do Brasil – 1ª fase

Local: Amigão, em Campina Grande
Data: 09/03/2020 (terça-feira)
Horário: 21h30
Árbitro: Dyorgines José Padovani de Andrade (ES)
Assistentes:  Fabiano da Silva Ramires e Vanderson Antônio Zanotti (ambos do ES)

Cartões amarelos: Júnior Gaúcho (Campinense) / Matheus Bahia (Bahia)

Gols: Cadu (Campinense) / Rossi, três vezes, Kemerson (contra), Juninho Capixaba, duas vezes, Gilberto (Bahia)

Campinense: Rubens Júnior; Állefe, Kemerson (Michel), Júnior Gaúcho e Jackinha; Gabriel Pereira, Rafinha e Sérgio Vinicius (Eduardo) e Cadu (Bruno Freitas); Marcelinho (Daniel) e Ruan Carlos (Matheus Régis). Técnico: Ederson Araújo.

Bahia: Douglas; Nino Paraíba (João Pedro), Lucas Fonseca, Juninho e Matheus Bahia (Juninho Capixaba); Patrick, Daniel (Edson) e Rodriguinho (Alesson); Gabriel Novaes, Rossi (Thiago) e Gilberto. Técnico: Dado Cavalcanti.

  • TAGS