Pré-candidato a prefeito de S. A. de Jesus expõe: “devemos nos preocupar com o coronavírus e o corruptovírus”

-
O médico ortopedista Dr. Everaldo Júnior / Foto: Voz da Bahia

No programa Meio-Dia e Meia na live do Voz da Bahia desta sexta-feira (24) o médico e pré-candidato a prefeito de Santo Antônio de Jesus, Dr. Everaldo Ferreira Júnior (PDT) participou de uma entrevista onde tratou de assuntos que o mesmo denomina como uma crise geral, “a gente está no meio a crise por causa de uma pandemia, a gente não tem uma data definida para acabar, estamos ainda em uma crise da saúde, uma crise econômica e agora também uma crise institucional no Brasil e política em nosso município”, revela.

MORO PEDE DEMISSÃO:

Inicialmente, Dr. Everaldo denomina as trocas de ministros e demissões do Governo Federal como um castelo de areia, “a gente nunca acreditou nas falácias do Bolsonaro, era sustentada justamente com dois pilares principalmente o Posto Ipiranga, Paulo Guedes, e o Mouro com as medidas anticorrupção. Diante dos acenos, das conversas com o centrão, com aqueles que tiveram envolvimento com o mensalão, com corrupção ativa e passiva, a gente vê que nada mais é do que um governo semelhante do seu antecessor. Então o que a gente precisa, é isso a culpa toda do povo, as pessoas precisam ter maturidade, e capacidade para escolher os seus líderes, porque se não a gente vai pagar caro seja no âmbito Federal, no âmbito Estadual ou no âmbito Municipal. Estamos aí na dúvida ainda sobre data da eleição, sabemos que vai ter eleição esse ano, então precisamos ter maturidade para escolher aqueles que possam dar continuidade aos destinos da nossa cidade”, relata.

DÚVIDAS:

Tratando-se das decisões feitas pela prefeitura municipal diante da pandemia do coronavírus, Everaldo descreve como uma confusão do vai e vem, “a gente não sabe o que está acontecendo apesar de ter sido escolhido um grupo de pessoas chamado Conselho, não se sabe como é que as decisões são tomadas, os critérios que são utilizados e aquilo que a gente sempre pegou: Qual o plano de contingenciamento para o combate à crise do Covid-19? Vale ressaltar que isso foi uma solicitação de Ministério Público, Dr. Tiago, desde o dia 25 de março fez essas solicitações. O comércio ontem, fez exatamente 30 dias de fechado. Essa semana reabriu de uma forma que eu não consigo entender, mas eu queria uma explicação sobre os critérios que foram estabelecidos para essa tal de flexibilização. Ou abre ou não abre. O vírus não tem hora para sair, hora para contaminar; como é que você me explica um determinado serviço atendendo só pela manhã? É natural que aquelas pessoas vão se dirigir todas pela manhã, então o que a gente observa é que o ponto crítico da abertura do comércio é justamente evitar as aglomerações, e aí eu pergunto: durante o fechamento do comércio, atividades que a gente chamava de emergenciais, não se conseguiu controlar as aglomerações, imagine com o comércio aberto em tardes e turnos? A gente não sabe o que é que está acontecendo, como é que foi feito essas opções?”, pergunta.

CONSELHO:

Durante entrevista, o pré-candidato a prefeito afirma que o Conselho criado pela prefeitura para serem tomadas as decisões contra a pandemia do coronavírus, não é heterogêneo, ou seja, ele diz também que não possui uma representatividade ampla de profissionais de saúde e de pessoas que representassem as classes que estão atuando na própria pandemia, “na questão das Entidades Comerciais tem o presidente, tem quatro ou é cinco representantes, não tem um representante do CREMEBE (Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia), não tem um representante do CREFITO que é do Conselho de Fisioterapia, do COREN que é o Conselho de Enfermagem, a gente observa que não tem um representante do Conselho Municipal de Saúde, eu fico procurando saber, o nosso problema é só econômico ou é um problema de saúde que causa o problema econômico? Eu quero deixar bem claro, eu não sou favorável nem ao fechamento, nem abertura do Comércio, ele pode abrir, mas com as condições propícia se acontecer algum caso nós tenhamos a referência para esse atendimento. Em nenhum momento eu observei o secretário de saúde apresentar o plano de contingenciamento. É tudo baseado nas pressões, que inclusive, eu e outras pessoas, outros cidadãos, tem feito ao gestor. Era para ser obrigatório, a questão do uso de máscaras, de EPIs não só para os funcionários que atuam na saúde, mas também para toda a população, já que é uma lei agora do Estado”, informou.

CASOS SUSPEITOS:

Everaldo ainda ressalta que é preciso que a prefeitura juntamente com a Secretaria de Saúde tenha ações mais efetivas em relação a pandemia, “a gente vê nas entrevistas que parece cênicas, as entrevistas do prefeito e secretário que geralmente acontecem no Centro Cultural, naquele lugar que deveria acontecer a arte, lá só teve a colação do prefeito quando ele recebeu a diplomação dele e essas reuniões extremamente plásticas, que se não se resolve absolutamente nada, onde há a intenção e o objetivo da personalização, ou seja, usar a pandemia para personalizar e se promover e aí quando a gente crítica, nós que estamos do outro lado da cordilheira, dizem que a gente está fazendo política. Eu estou cobrando como cidadão, como médico e como empresário: quais são as ações? Quais são os planos de contingenciamento para proteger a saúde das pessoas se alguém ficar doente? Quando vocês aqui falam de casos suspeitos, em Santo Antônio Jesus parece que é uma ofensa contra os defensores do prefeito, ou até o secretário, todos se ofendem quando a gente questiona, ou quando vocês da imprensa afirmam ter casos suspeitos. Diante de uma pandemia, todos nós somos suspeitos, até que se prove o contrário, qualquer um de nós pode ter sintomas e se provar, ou não, que estamos doentes. O município precisa ser mais claro sobre a quantidade de testes na cidade e sobre os casos suspeitos, temos o direito de saber, em todas às cidades do Brasil há casos suspeitos, Santo Antônio de Jesus não pode ter. Parece que o município não está no planeta. Os Boletins da Secretaria de Saúde precisam ser claros. É até importante que nós adquiramos o vírus para que a gente possa criar os anticorpos para ele, lógico, agora de uma forma controlada, de uma forma que possa evitar o caos na parte hospitalar, o comprometimento da saúde pública, o congestionamento das atividades e protegendo principalmente aquelas pessoas que têm maior probabilidade de morte”, expôs.

PRESTAÇÃO DE CONTAS:

Dr. Everaldo ainda questiona se a uma prestação de contas da parte prefeito da cidade com o Conselho sobre os valores enviados pelo Governo Federal para o combate ao Covid-19, “se fazem questão de dizer que não existe nenhum caso de Covid-19, que bom que nós não temos, mas diante da situação, a gente só tá vivendo de reza, de orações e da sorte, porque a gente não vê nenhum plano de contingenciamento que venha proteger a população? Até ontem, não tinha caso nenhum em Cruz das Almas, ontem também, a gente viu vocês da imprensa noticiando que Santo Antônio de Jesus, apesar de não ter caso nenhum de Covid-19, foi contemplada com um Decreto Emergencial dizendo que Santo Antônio é calamidade pública. O que que significa isso? Isso dá o poder ao prefeito a comprar sem licitação, sem prestação de contas de absolutamente nada, então vocês do Conselho também são responsáveis pelos recursos que serão aplicados na pandemia, por que não devemos cobrar somente o prefeito, mas cada um que faz parte desse Conselho que devem fiscalizar! É importante que vocês tenham uma ideia da responsabilidade, porque essa história de suspeito, todos nós somos, o que nós não podemos é ser cúmplices de mortes que podem vir a ter, se nós não nos prepararmos para combater o Covid-19 de forma transparente e responsável”, desabafa.

“CORRUPTOVÍRUS”:

O médico, ainda reforça que como empresário do município se preocupa com a estabilidade econômica, “devemos nos preocupar não só com coronavírus, mas com corruptovírus no município”, expressa.

PRESTAÇÃO DE CONTAS 2:

Dr. Everaldo aponta que até o momento não foi feito uma prestação de contas com os recursos enviados pelo Governo Federal para o combate ao coronavírus, “o que é que estão fazendo com os recursos públicos? Como estão sendo gastos? Foram enviados pelo Governo Federal os recursos para se combater o Covid-19 na cidade, em nenhum momento, nem o prefeito, nem o secretário, nem um Conselho que foi nomeado, prestou contas desses recursos. O que foi gasto? E como foi gasto? Foi comprado quantos testes? Cadê os testes? Quem já o fez? Enfim, agora o que a gente observa é um absurdo de uma inversão entre os papéis, eu vou dar um exemplo: às vezes o secretário de saúde dá uma entrevista justificando a flexibilização do comércio, este não é papel dele, esse deveria ser o papel do secretário de administração, ao mesmo tempo você ver um secretário de administração lançando uma licitação para se comprar cloroquina, mais de R$ R$ 1 milhão de reais (reveja aqui). Isso é samba do crioulo doido, você vê um secretário de saúde justificando a abertura e não abertura do comércio, não mostrou quais são os critérios de abrir, porque abrir pela manhã? Porque não abre a tarde? Porque abre lojas de material de construção, e não abre a loja de roupas e calçados? Será que é para prejudicar o nosso amigo Genival que também é pré-candidato a prefeito? Não sei, a gente precisa questionar, se eu vejo que é um dos maiores empresários do ramo, será que é para impedir o rapaz de trabalhar? Uma licitação de um milhão e duzentos mil reais e dizer que essa cloroquina não será usada? Primeiro, vimos as notícias que cloroquina e a hidroxicloroquina ela só pode ser utilizada em hospital, em uma unidade hospitalar; tanto é que o farmacêutico lá em Ilhéus foi demitido, por que liberou o medicamento para o nosso saudoso Dr. Gilmar Calazans que faleceu pelo uso, inclusive, é um medicamento que ainda está em teste, ainda não é um protocolo oficial para o uso de combate a essa doença. Como é que vai usar um milhão e duzentos mil reais e fazer uma aquisição de um medicamento, para que esse gasto todo? A população quer saber e eu estou de olho e vou cobrar pois o dinheiro é da cidade”, alega.

#FICA EM CASA SE PUDER

O pré-candidato aguça a necessidade de continuar rezando para que não aconteça nenhum caso em Santo Antônio, pois para ele, se algum for confirmado, esse paciente não tem para onde ser levado, “é onde que vai levar esse paciente? Onde é que ele será dirigido? Para que local ele será levado? Essa é a nossa preocupação, porque anteontem, não existia nenhum caso em Cruz das Almas e agora há, e você sabe, que até uma progressão geométrica contamina a 4 vezes 4 é dezesseis. Olha Ilhéus como é que já estar, olha para Itabuna, São Paulo, eu vou repetir uma frase que o governador disse; enquanto for números, as pessoas não vão dar muita atenção, quando a gente começar chamar pelo nome e não foi muito longe não, apesar de Gilmar não está aqui entre nós, ele era muito conhecido na sociedade de Santo Antônio e tem outro médico inclusive que está em Salvador que também luta por esse problema, então a gente não quer para os outros, a gente não quer para os nossos entes queridos, a gente não quer também o povo de Santo Antônio de Jesus. Por isso manter aquele pensamento de ficar em casa se puder, o pensamento do isolamento social, para que possa passar essa tempestade, com menos vítimas possíveis”, finalizou.

Reportagem: Voz da Bahia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui