Vitória goleia o Brasil de Pelotas em casa e volta à briga para escapar do Z4 da série B

Atuando como camisa 9, David marcou o segundo gol do Vitória no duelo (Arisson Marinho / Correio)

Enfrentar o lanterna em casa, com torcida no Barradão, após uma vitória indiscutível pela pré-Copa do Nordeste… O cenário para o Vitória era perfeito neste sábado (23). E o Leão não vacilou: meteu um 4×0 no Brasil de Pelotas e melhorou muito a sua condição na Série B.

Como esperado, o rubro-negro dominou o time gaúcho e definiu o duelo ainda na etapa inicial. Agora, o Vitória chegou aos 32 pontos e pode vislumbrar uma saída da zona de rebaixamento. A Ponte Preta, 16ª colocada, tem 34 pontos e ainda joga neste domingo (24), fora de casa, contra o Remo.

Por que esse é um cenário positivo? O próximo adversário é justamente a Ponte Preta, em Campinas. O duelo será no sábado (30), às 16h. Para passar a Macaca na próxima rodada, além de vencê-la, o Vitória precisa que ela não ganhe do Remo.

E para escapar do Z4, o Leão precisa – além de vencer a Macaca – que o Londrina também não vença na próxima rodada, a 32ª, quando visita o Confiança no sábado (30), às 18h45.

Fabinho confirmou a boa fase e abriu o placar aos 35 minutos do 1º tempo, marcando o seu segundo gol em jogos seguidos – ele havia feito o primeiro com a camisa rubro-negra contra o Itabaiana, na última terça-feira (19), pela pré-Copa do Nordeste.

Sem Manoel, com uma lesão na face, o treinador Wagner Lopes lançou David como camisa 9. E deu certo, porque aos 37 da primeira etapa ele recebeu em velocidade nas costas da defesa e, imparável, marcou o segundo do Leão num intervalo de dois minutos.

Roberto ainda converteu pênalti aos 50 minutos e, com um 3×0, fechou um primeiro tempo dos sonhos para os rubro-negros que foram ao segundo jogo com torcida no Barradão desde o começo da pandemia. De longe, a melhor atuação do Vitória numa Série B até aqui sofrível.

Para não deixar dúvidas da sua condição ao treinador, David ainda fez outro. Aos 36 da etapa final, recebeu cruzamento na medida de Roberto e fuzilou de cabeça o gol de Marcelo.

Irretocável

Assim como ocorreu contra o Itabaiana e mesmo na derrota para o Confiança, o Vitória começou a partida dominando o adversário. Movimentação intensa, passes atrás da defesa e inversões rápidas de jogada mostraram que o time tem evoluído.

Bruno Oliveira e Marcinho foram os destaques dos minutos iniciais. Aos 21, após rápida inversão, Marcinho recebeu no lado esquerdo, cortou para o meio e chutou colocado para defesa de Marcelo. Aos 23, Bruno arrancou do meio-campo, invadiu a área e chutou cruzado para fora.

Mas quem balançou as redes foram Fabinho e David. Aos 35, o ponta direita recebeu na entrada da área, fintou a marcação e chutou no cantinho de Marcelo. Aos 37, David recebeu nas costas da defesa do Brasil, ganhou de todo mundo em velocidade e finalizou na saída do goleiro. 2×0.

Para fechar um primeiro tempo irretocável, veio o 3×0. Aos 48, Roberto cobrou falta com força e a bola explodiu no braço de Arthur, dentro da área. Pênalti marcado com auxílio do árbitro de vídeo. Roberto cobrou com categoria e converteu a penalidade.

O Vitória voltou do intervalo para a etapa final realmente tirando o pé. Quando pôde, apenas cercou o adversário, tomando cuidado até mesmo para não tomar cartões. E não forçou o ataque em momento algum, apenas mantendo a posse de bola. Claramente, ficou de olho no calendário duro que tem pela frente na competição.

Se forçasse um pouquinho só, sairia o gol. E quem estava afim era David. Aos 36, Roberto recebeu na esquerda e cruzou na medida em direção à área. David subiu sozinho, tranquilo, e marcou o quarto.

Vitória 4×0 Brasil de Pelotas – 31ª rodada da Série B 2021

Vitória: Lucas Arcanajo; Raul Prata (Van), Wallace (Thalisson Kelven), Mateus Moraes e Roberto; João Pedro, Eduardo (Fernando Neto) e Bruno Oliveira (Caíque Souza); Fabinho (Alisson), David e Marcinho. Técnico: Wagner Lopes.

Brasil de Pelotas: Marcelo; Vidal, Arthur (Héverton), Alan Dias (Leandro Camilo) e Kevin; Diego Gomes (Patrick) e Bruno Matias; Renatinho (Caio Rangel), Rildo (Sousa) e Netto; Erison. Técnico: Jerson Testoni.

Gols: Fabinho, aos 35, David, aos 37, e Roberto (de pênalti), aos 50 minutos do primeiro tempo; David, aos 36 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos: Caíque Souza (Vitória); Bruno Matias, Arthur e Alan Dias (Brasil)

Estádio: Barradão, em Salvador (BA).
Público: 2.054 pagantes.
Renda: R$ 27.872,50

Arbitragem: Heber Roberto Lopes apita o jogo, auxiliado por Éder Alexandre e Johnny Barros de Oliveira (trio de Santa Catarina). O árbitro de vídeo (VAR) é Rodrigo Nunes de Sá (RJ).