Avô nega que jovens perseguiram o veículo do prefeito de S. A. de Jesus e o rebate: “Era para ele dá um bom exemplo”

-
Foto: Voz da Bahia

Na noite deste domingo o prefeito de Santo Antônio de Jesus, Rogério Andrade, juntamente com colaboradores da campanha, procuraram o Voz da Bahia e relataram que foram vítimas de uma perseguição por um veículo Jeep Renegade, da cor branca, com o número de um outro candidato (reveja aqui).

Nas redes sociais, a mãe dos jovens, Veruska Andrade dos Santos Almeida, conhecida como dona Kika acusou o prefeito de agir com truculência contra seus filhos ao abordar o carro, ainda em seu relato, a mãe dos rapazes acusa o prefeito de Santo Antônio de Jesus e candidato à reeleição, Rogério Andrade de agressão, “meu filho hoje foi vítima da tirania do prefeito da cidade, na volta para casa, utilizando de agressividade, que acha que em busca de manter-se no poder político vale qualquer atitude, mesmo a mais vil contra um ser humano”, diz ela (reveja aqui).

Desta vez, o empresário Gildalvo Carmo de Almeida, o conhecido ‘Gildo do Mercadão’, esteve no programa Meio-Dia e Meia, na Live do Voz da Bahia e se pronunciou sobre o ocorrido. Gildo que é avô de um dos jovens que estava dentro do veículo Jeep Renegade, diz que o prefeito faltou com a verdade, “ele falou que os meninos estavam seguindo ele o tempo todo, isso não é verdade, ele está mentindo neste sentido. A minha nora me ligou informando que o prefeito parou o carro dele saiu e ele mais três seguranças, deu tapa no motorista, que é amigo do meu neto que estava no veículo e mais três meninas que são amigas deles e três jovens. O gestor deu tapa no carro e alterou a voz com os meninos”, explica.

Ainda segundo o avô, o prefeito esmurrou o carro e pediu que desligasse o som, “os meninos estão muito depressivos em casa, muito arrasados, os pais até agora não saíram para rua, ainda estão decepcionados com prefeito e eu também que votei nele na outra eleição, fiquei decepcionado com a atitude dele. Ele, como prefeito é para dar bom exemplo como pai de família do bom exemplo para seu filho”, relata.

Gildo, voltou afirmar que não houve perseguição, “que interesse os meninos tinham de seguir o prefeito? Cinco crianças? Três meninas que estavam com ele e meu sobrinho que é um deficiente. O prefeito como todo mundo já conhece veio para enganar e ele está tentando nos enganar”, pontuou.

Reportagem: Voz da Bahia