Família pede justiça em enterro de menino morto a facadas por padrasto em SAJ: “ele derramou sangue errado”

0
2369
-
Foto: Reprodução | TV Record

O menino, Miguel Martins Pita, de 4 anos foi enterrado na manhã desta segunda-feira (14) no cemitério Jardim da Saudade na capital baiana. Miguel foi morto após ser atingido por mais de 15 facadas deferido pelo padrasto na cidade de Santo Antônio de Jesus na noite do dia das crianças, 12 de outubro. O menino assistia desenhos quando ouviu a discussão entre a mãe, Manuela Silva Costa Martins e Edilton Junior, autor do crime. Na discussão, Manuela chegou a ser ferida e conseguiu fugir (reveja mais detalhes aqui).

O enterro do garoto Miguel foi acompanhado por familiares e marcado por emoção e revolta. O tio da criança, Henrique Martins, que acompanhou todo os trâmites para o translado do corpo, estava consternado e pediu justiça, “ele é um monstro, e estamos aqui revoltados e pedimos justiça. Meu sobrinho foi atingido por quinze facadas, uma criança de 4 anos, indefesa”, disse. Henrique chegou a declarar que o acusado era usuário de drogas e fez um pedido as autoridades do município do recôncavo baiano, “a família dele é influente na cidade e o que não queremos é que esse caso fique impune. Transfiram ele o quanto mais rápido para um presídio daqui da capital. Queremos que as autoridades daqui de Salvador fiquem a frente desse caso ”,  expôs garantindo que, o acusado possa pagar o crime em liberdade, “infelizmente a família dele é influente na cidade e o dinheiro fala sempre mais alto”, declarou.

- Anúncio -

Muito emocionado, o tio da criança garantiu que lutará para que Edilton Júnior pague pelo crime, “ele  fez uma monstruosidade com uma criança, ele derramou o sangue errado. Ninguém tem o direito de ceifar a vida de ninguém, principalmente de uma criança e da forma covarde e cruel que ele fez”, externou.

Segundo a família, Manuela namorava o acusado a cerca de um ano e por morarem em cidades diferentes sempre se viam nos finais de semana, “ela ia para lá e ele também vinha ficar com ela nos finais de semana. E foi justamente nesse final de semana , dia das crianças que ele fez essa barbaridade. Ele destruiu a nossa família, tirou de nós o nosso bem mais precioso. Eu queria estar dando um presente ao meu pequeno, e hoje tenho que enterrá-lo, colocá-lo dentro de um caixão. Esse mostro tem que cumprir por cada facada deferida em nosso anjo se reverta em setenta vezes e que ele acabe os dias dele na cadeia”, disse emocionada a tia e madrinha do menino, Karen Martins.

Miguel foi morto após ser atingido por mais de 15 facadas deferido pelo padrasto na cidade de Santo Antônio de Jesus na noite do dia das crianças, 12 de outubro.  O menino assistia desenhos quando ouviu a discussão entre a mãe, Manuela Silva Costa Martins e Edilton Junior, autor do crime. Na discussão, Manuela chegou a ser ferida e conseguiu fugir.

Em entrevista ao Voz da Bahia, o delegado titular da 4ª Coorpin, Dr. Adilson Bezerra disse que o acusado foi frio nas declarações feitas em depoimento, “ ele não demonstrou remorso em nenhum momento, pelo contrário, demonstrava frieza. Ele nos afirmou que tentou matar a Manuela por conta de traição e matou o menino porque ele chorava muito”, disse (reveja a entrevista aqui).

Edilton Júnior permanece custodiado no Hospital Regional em Santo Antônio de Jesus onde está internado após tentar cometer suicídio.

Reportagem: Voz da Bahia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui