“Não sou boi e não vou acompanhar a boiada”; diz Cuiuba durante votação da lei do Livre Comércio em SAJ aprovado pela bancada de Genival na Câmara

Vereador Luciano Moura, Cuiuba (PSD) / Foto: Voz da Bahia

Durante a sessão da Câmara de Vereadores de Santo Antônio de Jesus, realizada nesta segunda-feira (30), onde foi votado o projeto de Lei n.º 059/2021, nomeado pelo vereador Uberdan Cardoso (PT) como “projeto escravidão”, que visa o funcionamento de estabelecimentos em domingos e alguns feriados a qualquer hora (reveja aqui); Luciano Moura, popular Cuiuba (PSD) utilizou a tribuna para reclamar da falta de diálogo e negociação dos seus pares sobre o plano.

Segundo Cuiuba, a maioria da situação está querendo empurrar projetos que beneficiam um pequeníssimo grupo de empresários na cidade, “estou indignado, queria ter a oportunidade de me juntar com a classe empresarial da qual pertenço, tenho empresa na cidade, mas precisamos saber quais são os pontos positivos e negativos, banco de horas, remuneração, se vai gerar emprego e qual o compromisso. Vamos conversar com a ACESAJ (Associação Comercial), abrir o debate. Um tema tão polemico e nenhum vereador aqui discutiu. Ganhamos para isso, para discutir os temas e debater, não pode ser coronelismo, chegando aqui e empurrar, tocar o boi. Eu não sou boi e não vou acompanhar a boiada. Quem não for boi, que diga que não é boi”, falou.

Cuiuba continuou dizendo que não iria compactuar com um projeto que não foi discutido na Casa Legislativa, “amanhã vou dizer aos empresários utilizando os meios de comunicação, sobre o porque pedi vistas que não foi concedida. Quero saber se dentro da empresa de qualquer um aqui da cidade, vai decidir sem debater antes? Estão tomando essa decisão aqui sem debate. A minha indignação é essa, essa é a Casa do debate. Como vou ser a favor de alguma coisa que está sendo empurrada? Está comprovado que essa Casa não representa a verdade”, concluiu.

Reportagem: Voz da Bahia