Dona de casa é absolvida após matar o marido policial que a violentava em SP

0
339
-
Júri popular ocorreu no Fórum de Praia Grande, SP — Foto: Reprodução

A dona de casa Cláudia Regina da Silva, de 59 anos, foi absolvida na Justiça de São Paulo da acusação de matar o marido, o carcereiro Wagner Bispo Prata, de 47 anos, em Praia Grande, no litoral do estado. O crime foi motivado pela violência doméstica sofrida pela mulher. A decisão em júri popular é definitiva, pois o Ministério Público não recorreu.

A vítima foi assassinada com um tiro na cabeça, em novembro de 2007. A arma do policial foi usada no crime. Após o homicídio, ela fugiu, mas deixou um bilhete para os filhos: “Me perdoem, mas o pesadelo acabou”. Ela foi agredida pelo marido durante 30 anos, período em que foi queimada com ferro e teve o cabelo cortado com um facão.

O crime foi elucidado, a polícia a indiciou e a mulher foi denunciada à Justiça pela promotoria. Cláudia foi à júri popular este mês. O promotor Fábio Perez Fernandez pediu aos jurados a condenação da ré por homicídio privilegiado (cometido por violenta emoção, após injusta provocação). A defesa pediu absolvição por “inexigibilidade de conduta”.

“A tese é muito difícil de prosperar, mas mostra que a sociedade (júri) não mais tolera o espancamento e agressões contra mulheres”, considerou o advogado Renato Luiz de Jesus, que defendeu a dona de casa. (G1)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui